Wagner Arnold Fensterseifer, da Pactum Consultoria Empresarial, crédito Arquivo Pessoal Wagner Arnold Fensterseifer, da Pactum Consultoria Empresarial, crédito Arquivo Pessoal Foto: Arquivo Pessoal/ARQUIVO PESSOAL/DIVULGAÇÃO/JC

Cinco dicas para quem deseja começar uma startup

Wagner Arnold Fensterseifer, da Pactum Consultoria Empresarial, de Porto Alegre, ajuda os leitores do GeraçãoE sobre questões jurídicas para abrir uma startup. Se você tem alguma dúvida específica, envie para geracaoe@jornaldocomercio.com.br que responderemos em edições futuras

O Brasil tem mais de 4 mil empresas em estágio inicial, ou seja, startups, que atraem a atenção de investidores. Esse cenário revela que um grande número de pessoas está disposto a desenvolver projetos e criar empregos. Veja cinco dicas que todo empreendedor iniciante deve seguir:
1. Formalize corretamente o acordo entre os fundadores
É importante deixar claro, desde o princípio, a participação de cada sócio no empreendimento, bem como os papéis que cada um exercerá e a forma como serão tomadas decisões conjuntamente. Para evitar problemas futuros, tudo deve ser formalizado. Não basta ter uma boa ideia, é preciso ter uma boa empresa.
2. Constitua legalmente sua empresa
Startups, inclusive aquelas em fase pré-operacional, devem estar devidamente registradas (possuir CNPJ) e com tipo societário definido. Cuidado com o registro de aportes já recebidos, evitando que sejam feitos informalmente e tenha controle das parcerias ou promessas de futuras cessões para terceiros. Essa medida aumenta a credibilidade do empreendimento e protege o patrimônio pessoal dos sócios, aumentando, em muitos casos, a possibilidade de acesso a fontes de financiamento.
3. Documente todas as receitas e despesas e recolha tributos
Empreender no Brasil é um grande desafio, em que o registro contábil e a apuração dos tributos são importantes etapas. Entretanto, as startups que conseguem vencer isto aumentam consideravelmente suas possibilidades de crescimento e perenidade.
4. Avalie formas alternativas de começar o negócio
Andar sozinho por muito tempo torna a caminhada mais difícil. Atualmente, é possível considerar alternativas que amenizam as agruras dos primeiros passos. Considere começar a empreender por meio de incubadoras, aceleradoras e/ou espaços de co-working. Também há a possibilidade de criar um projeto que conecte sua startup com empresas (corporate venture), conforme a natureza da solução desenvolvida.
5. Esteja preparado para receber aportes de investidores
Existem muitos investidores-anjo, fundos de investimento e grandes empresas dispostos a investir em startups. Conhecer a linguagem do mercado é fundamental: tenha projeções de receitas, conheça as perspectivas do setor para médio e longo prazo e, é claro, treine seu pitch incessantemente.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio