Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de abril de 2017. Atualizado às 13h03.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

Notícia da edição impressa de 20/04/2017. Alterada em 20/04 às 00h58min

Classificação para pôr no DVD

Goleiro colorado defendeu dois pênaltis na decisão

Goleiro colorado defendeu dois pênaltis na decisão


Newton Menezes/Futura Press/JC
A maior rivalidade recente do futebol brasileiro voltou a campo na noite desta quarta-feira na Arena Itaquera, em São Paulo. Corinthians e Inter se digladiaram por uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. No primeiro jogo, no Beira-Rio, empate em 1 a 1. O resultado se repetiu no jogo da volta e a decisão foi para a marca do pênalti. Com duas defesas de Marcelo Lomba, o Inter venceu por 4 a 3 e carimbou o passaporte para as oitavas de final do torneio.
O primeiro tempo de partida foi jogado em alta rotação. Com as duas equipes marcando forte e, ao mesmo tempo, buscando soluções ofensivas. Pouco havia se visto da postura das duas equipes em campo quando o Corinthians abrir o placar. Aos sete minutos, após cobrança de lateral pela direita de ataque direto na área, a bola passou por todo mundo e sobrou para Maycon, na segunda trave, chutar para fazer o 1 a 0.
Dois minutos depois, por muito pouco, Jô não ampliou, mas, na cara de Marcelo Lomba, chutou forte para fora. Apesar do gol, o Inter não demonstrou abatimento. Controlando bem as iniciativas ofensivas paulistas, o time de Antônio Carlos Zago rondou o gol de Cássio por diversas ocasiões. Sem D'Alessandro para articular as jogadas de frente, porém, o Colorado abusou dos cruzamentos para a área adversária. Somente no primeiro tempo foram 22 bolas alçadas.
O segundo tempo foi todo gaúcho. Os donos da casa se contentaram em tentar um que outro contra-ataque, enquanto o Inter jogou no campo adversário, buscando o empate de todas as formas. Zago tirou o chileno Felipe Gutiérrez, de atuação discreta, e colocou em seu lugar o atacante Carlos, que ampliou a força ofensiva da equipe.
E foi assim, na base do abafa, que o Inter marcou seu gol. Aos 26 minutos, Carlos cabeceou cruzamento da direita e o goleiro Cássio deu rebote, que Nico López aproveitou chutando cruzado. No meio do caminho, a bola desviou no zagueiro Pablo e foi morrer no fundo do gol corintiano.
Depois do empate, o Corinthians mudou sua postura e foi mais à frente tentando fazer o segundo gol. Aos 42, Clayton ficou na carta de Lomba e isolou a chance de evitar a decisão nas penalidades máximas. Dois minutos depois, Marcelo Loba evitou com as pernas o gol de Jô. Aos 47, foi a vez de Cássio evitar o gol colorado ao espalmar chute de Valdívia de fora da área.
Nas penalidades, brilhou a estrela de Marcelo Lomba. Na sequência inicial, o goleiro colorado defendeu duas cobranças (de Maycon e Marquinhos Gabriel), mas William e Léo Ortiz também erraram as suas cobranças. Nas alternadas, o garoto Diego marcou para os gaúchos e Arana mandou para fora e garantiu a festa colorada em Itaquera. Vitória do Inter por 4 a 3.
Corinthians 1 (3) x (4) 1 Internacional
Cássio; Fagner, Pablo, Balbuena e Guilherme Arana; Gabriel (Marquinhos Gabriel), Maycon, Rodriguinho, Jadson e Romero (Clayton); Jô. Técnico: Fábio Carille.
Marcelo Lomba; William, Leo Ortiz, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Anselmo, Roberson (Valdivia) e Felipe Gutierrez (Carlos); Brenner e Nico Lopez (Diego). Técnico: Antonio Carlos Zago.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 20/04/2017 10h39min
O BONDE DA ZONA LESTE QUEBROU !!!nA INSTITUIÇÃO INTERNACIONAL ACABOU COM ESTA SÍNDROME !!!nChega desta síndrome do medo toda vez que vamos enfrentar o Corinthians tanto aqui como lá em São Paulo.nA nossa CAMISA é tão forte quanto a deles, mas depende dos jogadores para a bola ser bem tratada.nJá pararam para pensar que mesmo sendo outro presidente, outro treinador, outros jogadores o Internacional continua demonstrando que não é capaz de atropelar estes Corinthianos.nSão onze x onze e sangue nos olhos até o final do jogo, quem garante que os paulistas não entraram de salto 18?nFizemos o jogo deles com paciência, sem afobação e aproveitamos cirurgicamente as oportunidades que surgiram.nO Brenner sempre teve a calma e paciência do Cristiano Ronaldo dentro da pequena área.nO Willian conseguiu ser um pouquinho menos afoito, e quase se espelhou no craque Marcelo do Real Madrid.nAgora, mesmo sabendo que não tínhamos alguns jogadores que poderiam causar mais medo no adversário, foram escalados outros com mais vontade e jogaram a melhor partida das suas vidas.nEles fizeram a diferença e colocaram na mente que também possuíam igual condição para ganhar este jogo e bem, mesmo nos PÊNALTIS.nAlgum clube brasileiro, e que ÓTIMO que foi o COLORADO, precisava imitar esta mania deles de jogar e sair vencedor.nLá vêm eles bem fechadinhos, compactados, tratando bem a bola, valorizando sempre o passe certo para algum jogador em melhor condição de seguir com a jogada, saindo rápido no contra ataque, GOL.nEste jogo de ontem foi para LAVAR A ALMA COLORADA de ORGULHO.nPOÊM NO DV, ESTÃO FORA DA CB 2017.nAbs. Dorian Bueno POA 19.04.2017nn