Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de abril de 2017. Atualizado às 10h46.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

siderurgia

20/04/2017 - 10h49min. Alterada em 20/04 às 10h51min

Investimentos da Usiminas no 1º trimestre caem 67% 2016

Custo por produto vendido (CPV) no primeiro trimestre do ano caiu 10% na relação anual

Custo por produto vendido (CPV) no primeiro trimestre do ano caiu 10% na relação anual


MARCOS NAGELSTEIN/JC
Os investimentos da Usiminas no primeiro trimestre do ano somaram R$ 23 milhões, queda de 67% em relação ao observado no mesmo período do ano passado. Em relação ao último trimestre do ano passado, o número cresceu 7%. 
A companhia detalhou, no documento que acompanha seu demonstrativo financeiro, que o montante foi aplicado em manutenção, sendo 77% na Unidade de Siderurgia, 11% na Mineração, 9% em Bens de Capital e 3% na Transformação do Aço, aproximadamente. Para este ano, a Usiminas havia previsto que os investimentos ficariam em torno de R$ 300 milhões.
Em 2016, os investimentos da empresa caíram 71%, para R$ 225 milhões, ante 2015. O custo por produto vendido (CPV) da Usiminas no primeiro trimestre do ano caiu 10% na relação anual, para R$ 1,870 bilhão. Em relação ao último trimestre de 2016 houve aumento de 1%.
Já o capital de giro da Usiminas nos três primeiros meses do ano foi de R$ 2,6 bilhões, ante R$ 2,5 bilhões no último trimestre do ano passado. O aumento, segundo a empresa, ocorreu por conta do "aumento nos estoques de aço e de matérias primas (incluindo placas adquiridas), refletindo preços mais altos".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia