Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de abril de 2017. Atualizado às 08h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Após tombo, petróleo avança com sinais de que Opep e Rússia irão estender cortes

Os futuros de petróleo operam em alta na manhã desta quinta-feira (20) após comentários de autoridades em Abu Dabi alimentarem esperanças de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e Rússia irão de fato estender os esforços de conter a produção da commodity por mais tempo que originalmente previsto.

Ontem, os preços do petróleo despencaram mais de 3,5% e atingiram os menores níveis em quase três semanas após dados mostrarem que a produção dos EUA atingiu o maior nível em 20 meses na semana passada.

Durante a madrugada, porém, o ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falid, afirmou que alguns integrantes da Opep chegaram a um acordo preliminar para prorrogar os cortes na produção. Já o ministro de Petróleo do Kuwait, Essam al-Marzouq, disse que a Rússia também concordou, preliminarmente, em reduzir sua produção por um período mais longo.

No fim do ano passado, a Opep e países de fora do grupo, incluindo a Rússia, fecharam pactos para reduzir sua produção em cerca de 1,8 milhão de barris por dia ao longo do primeiro semestre.

Em 25 de maio, a Opep vai se reunir em Viena para discutir a possível extensão do acordo para além de junho.

Às 7h35min (de Brasília), o petróleo tipo Brent para junho subia 0,94% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 53,43 por barril, enquanto o WTI para o mesmo mês avançava 0,90% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 51,31 por barril. O WTI de maio, que vence no fim dos negócios de hoje, tinha alta de 0,89%, a US$ 50,8 por barril.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia