Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 20h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

reforma da previdência

Alterada em 19/04 às 20h48min

Relator não inclui policial legislativo com mesma regra de civis e federais

O relator da reforma da Previdência na Câmara, Arthur Maia (PPS-BA), afirmou nesta quarta-feira (19), que decidiu não incluir os policiais legislativos nas regras de aposentadoria especial como os policiais civis e federais. Mais cedo, policiais legislativos tinham abordado o relator na Casa, pedindo que tivessem as mesmas regras previdenciárias previstas no parecer de Maia para policiais civis e federais.
Policiais legislativos abordaram o relator no Salão Verde da Câmara e o encurralaram na parede. Na conversa, afirmaram que hoje possuem aposentadoria especial, mas que a reforma da Previdência acaba com esse direito. Com isso, pediram que Maia estabelecesse para eles no parecer as mesmas regras previstas para policiais civis e militares terão.
Policiais, professores e trabalhadores rurais terão idade mínima menor do que os 65 anos previstos para os demais trabalhadores homens e 62 anos, para as mulheres. No caso dos policiais civis e militares, homens e mulheres terão idade mínima de 55 anos, sem transição, com uma promessa de estabelecer uma idade mínima definitiva na reforma da Previdência dos militares, que o governo prometeu enviar ao Congresso em maio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia