Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 15h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Alterada em 19/04 às 15h53min

Economia dos EUA cresceu em ritmo modesto a moderado, segundo Livro Bege do Fed

Um mercado de trabalho mais apertado coloca maior pressão sobre os salários, enquanto as companhias dos Estados Unidos reportam cada vez mais problemas para preencher vagas para funcionários com baixa qualificação, segundo o relatório do Livro Bege, do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), documento que ajuda a embasar as decisões de política monetária.
Em algumas regiões, "faltas de trabalhadores e custos maiores com trabalho estavam restringindo o crescimento de alguns setores, incluindo manufatureiro, transportes e construção", afirma o Fed. O mais recente Livro Bege cobre de meados de fevereiro ao fim de março, nos 12 distritos abrangidos pelo banco central.
O relatório concluiu que "os ganhos modestos de salários se disseminaram" e que os empregadores na maioria dos distritos tinha mais dificuldade para preencher posições com baixa qualificação, embora a demanda fosse mais forte por trabalhadores mais qualificados.
Mais amplamente, o Fed disse que a atividade econômica expandiu em todos os 12 distritos, "com o ritmo da expansão igualmente dividido entre modesto e moderado".
A inflação, por sua vez, continuou a se firmar, com os preços subindo modestamente. "As empresas em sua maioria esperavam crescimento de preços leve a moderado persistindo nos próximos vários meses", afirmou o documento.
Alguns distritos reportaram incertezas sobre a perspectiva para a política comercial no governo do presidente Donald Trump. O Fed de Boston disse que "um produtor de equipamentos de testes que exporta parcela significativa de sua produção se preocupava com os acordos comerciais". O Fed de Dallas, por sua vez, disse que alguns no setor manufatureiro notavam a "incerteza política considerável", especialmente diante de qualquer mudança que pudesse afetar o comércio com o México.
Algumas companhias também relataram mais preocupações com a imigração, tendo por exemplo mais dificuldades para encontrar trabalhadores sazonais imigrantes para alguns setores.
A próxima reunião de política monetária do Fed ocorre em 2 e 3 de maio. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia