Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 11h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Alterada em 19/04 às 11h04min

PF deflagra Stellio Natus contra fraudes no seguro desemprego

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira a Operação Stellio Natus, contra um esquema de fraude no seguro desemprego, consistente em saques ilegais de benefícios de trabalhadores.
Em nota, a PF informou que os crimes eram cometidos em diversas unidades do País e contavam com a colaboração de prepostos do Ministério do Trabalho e agente púbicos cooptados pelo esquema para alterarem os endereços dos verdadeiros beneficiários, a fim de desviar cartões.
"Assim, os integrantes da quadrilha usavam o documento para sacar o dinheiro das vítimas em agências lotéricas. Há também a participação de uma policial civil do Mato Grosso, esposa do principal investigado", diz nota da PF.
Estima-se que a quadrilha tenha desviado mais de R$ 3 milhões em benefícios. Cerca de 70 policiais federais cumprem 16 mandados judiciais expedidos pela 1ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Anápolis-GO, sendo oito mandados de prisão preventiva, dois mandados de condução coercitiva e seis mandados de busca e apreensão.
As diligências estão sendo executadas nas cidades de Anápolis/GO, Caldas Novas/GO, Nova Lima/MG, São Félix do Araguaia/MT e Redenção/PA. Os investigados responderão pelo crime de estelionato qualificado, com previsão de pena máxima de 5 anos, aumentada de 1/3 por ter sido cometido em detrimento de instituto de assistência social. Os detidos serão encaminhados para Anápolis.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia