Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 14 de abril de 2017. Atualizado às 16h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

14/04/2017 - 16h16min. Alterada em 14/04 às 16h16min

Inflação ao consumidor recua 0,3% em março ante fevereiro nos EUA

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos teve queda de 0,3% em março ante fevereiro, após ajustes sazonais, informou nesta sexta-feira (14) o Departamento do Trabalho. Analistas ouvidos pelo Wall Street previam estabilidade. O núcleo do CPI, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, teve baixa de 0,1% e contrariou a previsão de ganho de 0,2% dos analistas. Os números sugerem perda de fôlego na pressão inflacionária, após meses de mais força.
Trata-se da primeira queda mensal no núcleo dos preços ao consumidor desde janeiro de 2010. Além disso no índice cheio este foi o maior recuo desde janeiro de 2015. Os preços ao consumidor subiram 2,4% em março na comparação anual, abaixo do avanço de 2,7% de fevereiro. O núcleo dos preços subiu 2,0% no ano, a leitura mais baixa na comparação anual desde novembro de 2015. Na comparação com fevereiro, houve queda nos preços em março com gasolina, veículos a motor, vestuário e serviços de telefone sem fio. Por outro lado, os preços subiram em itens como alimentos, cuidados com saúde e abrigo.
Também nesta sexta-feira, o Departamento do Trabalho informou que o ganho médio semanal para os trabalhadores do setor privado, ajustado para a inflação, teve alta de 0,5% em março ante fevereiro. A alta refletiu o avanço dos salários, a queda nos preços e horas trabalhadas na semana em patamar estável. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia