Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de abril de 2017. Atualizado às 16h25.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Tecnologia

Notícia da edição impressa de 17/04/2017. Alterada em 17/04 às 16h28min

Dinamize inaugura, em maio, operação no Canadá

Jonatas Abbott aposta na expansão internacional da companhia

Jonatas Abbott aposta na expansão internacional da companhia


MARCELO G. RIBEIRO/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Patricia Knebel
Sede nova, produto diferenciado e a entrada em um novo mercado internacional. A Dinamize, companhia gaúcha especializada em soluções de e-mail marketing e gestão de mídia social, começou 2017 colhendo frutos dos investimentos em expansão dos últimos anos.
Com 17 anos de atuação no mercado, mais de 22 mil clientes e mil canais autorizados em centenas de cidades no Brasil e no exterior, a empresa se prepara para inaugurar, em maio, a Dinamize Canadá. A operação vai seguir o mesmo modelo já adotado em Portugal, em que começa a atuar por meio da aliança com uma empresa de tecnologia local, mas sem necessariamente ter profissionais próprios por lá. O parceiro local entra com a equipe, e a Dinamize, com o produto.
Aliás, antes mesmo do lançamento oficial, já está começando a migração da sua principal solução, o mail2easypro, para 100 clientes do novo parceiro canadense. Até então, eles utilizavam uma ferramenta de e-mail marketing de uma concorrente da Dinamize. "Esse é o nosso maior negócio no exterior realizado até hoje", comemora Jonatas Abbott, sócio e diretor executivo da Dinamize.
Até o final deste ano, os investimentos na expansão internacional devem chegar a R$ 350 mil. Entre os novos clientes no exterior estão o maior coworking de Lisboa, agências de comunicação portuguesas, a Câmara de Comércio Brasil-EUA da Flórida e a Quality Medical Line, importadora e exportadora de medicamentos situada em Miami. "A abertura de operações na Europa e nos EUA costuma ser algo glamouroso para as pessoas, mas a verdade é que sabemos que serão três ou quatro anos de muitos investimentos e que não teremos grandes lucros em pouco tempo", analisa o gestor.
A expansão internacional começou nos Estados Unidos, em 2016, como uma operação solo, sem parceiro local. Mas a ideia agora é mudar esse formato, cuja operação acontece remotamente, e buscar também um parceiro local.
No Brasil, a empresa acaba de consolidar os investimentos de R$ 500 mil na construção da sua nova sede, inaugurada recentemente em Porto Alegre. O espaço conta com telefonia e internet 100% wireless, salas para webinar e projeção em tempo real de informações de vendas, cancelamentos, tempo de espera, atendimentos simultâneos em chat e telefone, tráfego de dados, e-mail entregues por meio de televisores de LED para diversos setores da empresa.
O prédio conta ainda com sala para teleconferência, auditório, cafeteria, garagem, bicicletário, vestiário e salão de festas. Além dessa unidade da capital gaúcha, a Dinamize também possui sedes físicas nas cidades de Joinville (SC), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG) e Ribeirão Preto (SP).

Modernização de ferramentas é uma preocupação

As novidades da Dinamize não devem parar. Um dos projetos em estudo é a criação de um ambiente de e-commerce para vender os produtos da Dinamize na internet. Mas, o empresário afirma que isso precisa ser feito com muito cuidado. "Quando promovemos abertamente um produto de e-mail marketing, acabamos atraindo o pior da internet e isso pode matar uma empresa", relata, destacando o risco de a ferramenta ser usada para spam.
Não dá para negar que o e-mail perdeu espaço nos últimos anos para as mídias sociais, como Messenger e WhatsApp. Mas segue sendo uma ferramenta robusta de comunicação digital e parte da identidade do internauta. "É um instrumento pessoal, com uma timeline fixa e com centenas de opções de fornecedores. As empresas vivem de vender e hoje, em termos de presença digital, o tripé vitorioso é site, Google e e-mail marketing", observa.
Uma questão importante para a modernização das ferramentas de e-mail marketing é que passaram a incorporar as novidades das novas mídias, por meio da integração do e-mail ao Facebook, campanhas disparadas a partir de curtidas nas redes sociais e integração como SMS. "Ser multicanal, ter ferramentas de geolocalização e segmentação é o estado da arte da comunicação hoje em dia", diz Abbott.

Empresa investiu R$ 1 milhão em novo produto

O crescimento médio de 20% que a empresa vem tendo ao ano, segundo Abbott, é fruto da aposta no produto de e-mail marketing da marca, o
mail2easypro. "Quando decidimos que não venderíamos a Dinamize e que queríamos ter um negócio para a vida toda, resolvemos fazer um novo produto, de alto nível", conta. A empresa investiu R$ 1 milhão nos últimos quatro anos para tornar essa ferramenta realmente diferenciada. Isso envolveu, por exemplo, a contratação de profissionais gabaritados de usabilidade e tecnologia.
O empresário acredita que os brasileiros ainda têm aquele complexo de vira-lata e não acreditam que podem ter uma empresa de sucesso na sua mão. "O cenário das startups estimula muito a venda da operação ou de parte dela, mas isso é vender parte do teu sonho. Acho importante mostrar para essa garotada que é possível ter uma empresa de sucesso sem precisar vendê-la, basta ter bons sócios e um produto de qualidade", aponta.
Segundo Abbott, os empreendedores que vendem seus negócios no Brasil são celebrados, enquanto que, nos Estados Unidos, ter uma companhia durante décadas é sinal de longevidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia