Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 23 de abril de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 24/04/2017. Alterada em 23/04 às 21h37min

Frases e personagens

Christine Lagarde, diretora executiva do FMI

Christine Lagarde, diretora executiva do FMI


NICHOLAS KAMM/AFP/JC
"São bem-vindas as políticas fiscal e monetária que estão sendo adotadas no Brasil, pois viabilizam ajustes macroeconômicos que vão colaborar para a recuperação do PIB. O Brasil está saindo de uma grande contração em 2016 e deve registrar recuperação na economia em 2017." Christine Lagarde, diretora executiva do FMI.
"O combate à corrupção é muito importante para a evolução do crescimento potencial do Brasil. O nível de atividade mundial está ganhando força, mas esse avanço depende de medidas dos governos para manter a recuperação, elevar a produtividade e fortalecer a resistência." Também Christine Lagarde.
"O perfil político-ideológico imposto pelo Ministério Público Federal nessas apurações tem ficado evidente. Há um arrastão para desmoralizar homens públicos de bem, baseados em insinuações maliciosas, inculpações precárias e acusações débeis." Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do governo no Senado.
"Denúncias precárias e pedidos de abertura de novos inquéritos surgem exatamente quando o Congresso se debruça sobre o projeto de lei que pune o abuso de autoridade e busca soluções para a sangria salarial provocada pelos auxílios inconstitucionais auferidos pelos membros do Ministério Público. São iniquidades contra o Parlamento." Também Renan Calheiros.
"Eu deveria me aposentar com 60 anos, agora, somente com 65. Sou engenheiro e advogado. Agora, como deputado ganho R$ 20 mil, acho bem razoável, mas ganharia mais na iniciativa privada." Carlos Marun (PMDB-MS), presidente da Comissão da Reforma da Previdência.
"Nunca autorizei caixa-2 em minhas campanhas, ao contrário do divulgado pelo publicitário João Santana e sua sócia e mulher Mônica Moura - meus marqueteiros em 2010 e em 2014 -, de que receberam recursos não contabilizados nas campanhas." Dilma Rousseff (PT), ex-presidente da República.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia