Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de abril de 2017. Atualizado às 00h50.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 20/04/2017. Alterada em 19/04 às 20h03min

Frases e personagens

"O que querem é processar o policial que investiga, o procurador que denuncia e o juiz que julga. Admitir isso é calar de vez a força-tarefa e o próprio juiz Sérgio Moro." Deltan Dallagnol, procurador que coordena a equipe da Lava Jato no Ministério Público Federal.
"O projeto de lei de abuso de autoridade, que prevê punições para ocupantes de cargos públicos que se excedam no desempenho de suas funções, tem oposição da força-tarefa da Operação Lava Jato. Os políticos tentam calar as autoridades." Isabel Cristina Groba Vieira, procuradora.
"A Lava Jato é um símbolo importantíssimo de combate à corrupção. O Supremo Tribunal Federal dará a prioridade necessária aos processos da Lava Jato." Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal.
"Não coloquei no projeto a sugestão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para colocar no texto que não configura abuso de autoridade a divergência na interpretação de lei ou na avaliação de fatos e provas, desde que bem fundamentada." Roberto Requião (PMDB-PR), senador.
"Desculpem a palavra grosseira, mas é uma mentira dizer que a reforma da Previdência vai prejudicar os mais pobres. Como, se hoje mais de 70% dos beneficiários ganham um salário-mínimo? Ao contrário, os que são contra estão no topo, não querem perder seus privilégios." Michel Temer (PMDB), presidente da República.
"O Brasil está agora menos vulnerável a choques externos. O cenário externo incerto coincide com um período de estabilização econômica e melhoria dos fundamentos da economia brasileira." Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central.
"O próximo governador é que terá mais folga nas finanças, não pagando R$ 300 milhões mensais da dívida com a União. No governo Sartori ajudará, porém menos." Giovani Feltes (PMDB), secretário estadual da Fazenda.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia