Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de abril de 2017. Atualizado às 10h13.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

De Olho na tevê

Notícia da edição impressa de 18/04/2017. Alterada em 17/04 às 21h04min

Segundo round

O Corinthians desprezou a Copa do Brasil e veio a Porto Alegre sem Jô nem Jadson, este seu melhor jogador, poupados para o clássico contra o São Paulo. Deu certo, venceu por 2 a 0, mas amanhã terá que ganhar do Inter (não acredito em empate sem gols) e pode estar novamente sem Jadson. Os colorados, talvez desfalcados de Edenilson, sonham com outra atuação impositiva como a do Beira-Rio, com o dobro de posse da bola e um futebol que agradou. Ok, o problema é que o Timão, em sua luxuosa arena, certamente será bem superior ao da semana passada. Tudo pode...
Insegurança e rival mais forte
O Grêmio teve a sorte de pegar uma chave fraquinha, a menos difícil da Libertadores. Passeou na Venezuela, deu mole contra o Iquique, mas deve passar por seu teste mais verdadeiro no Paraguai, contra o Guaraní. Que não é nada de outro mundo, apenas joga um futebol melhorzinho, em relação aos adversários anteriores e, em casa, pode aproveitar-se das oscilações gremistas. Nas duas últimas partidas, o Tricolor demonstrou ser um time inconfiável, capaz de abrir vantagem e, ao invés de valer-se dela para resolver o jogo, se afrouxar todo e entregar (ou quase) o resultado.
Gauchão, a final dos sonhos?
O Inter, entusiasmado por sua entrega em campo frente ao Corinthians, encara o Caxias e, como em jogo de dadinhos, retorna à sua posição de mediocridade anterior. O Grêmio ameaça deslanchar, sofre um pouco para vencer na Libertadores, mas aí vem o Novo Hamburgo e leva um empate da Arena. Não é provável, embora possível, que o domingo reserve surpresas aos colorados no Centenário. Assim como o Noia, brilhante na fase classificatória, pode chegar às finais. Há quantas décadas o Gauchão não é decidido sem pelo menos um da dupla? Talvez agora...
Vão quebrar a Chapecoense
A informação dá conta de que várias vítimas indiretas da tragédia seguirão o mesmo caminho, o do Judiciário. O objetivo será obter gordas indenizações pela perda de seus parentes, mortos quando o avião sem combustível, pilotado por um irresponsável, chocou-se contra montanhas colombianas. Familiares do saudoso técnico Caio Júnior pleiteiam R$ 30 milhões para amenizar sua perda. Como a empresa aérea não tem bens, a ação será contra sua contratante, a Chapecoense. Algum clube brasileiro seria capaz de suportar alguns baques desse tamanho em suas finanças?
Pitacos
Giovanni Augusto esnobou o Inter e sua Série B. No Beira-Rio jogou 17 minutos, perdeu a bola do jogo (Lomba saiu bem demais) e por uma entrada desleal de Dourado precisará de uma cirurgia e 90 dias sem futebol.
Hoje, Real Madrid e Bayern de Munique; amanhã, Barcelona e Juventus completam o menu da Champions League. Domingo tem Barça e Real Madrid. E ninguém reclama do calendário.
O Inter foi rápido, bastou o Corinthians desistir e já trouxe William Potker, goleador do Paulistão. Pena que ele só possa jogar a Série B, vai cair como uma luva no elenco colorado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 18/04/2017 09h35min
COLORADO OTIMISTÃO !!!nNós vamos eliminar o Corinthians lá em Itaquera.nDepois vamos subir a serra e venceremos, empataremos ou perderemos, mas eliminaremos o Caxias.nMais uma vez vamos disputar uma final agora contra o Novo Hamburgo.nPara não ficar ruim este ano de 2017, vamos também conquistar mais este título do Gauchão, por que está caindo em nosso colo como no ano passado.nQuanto a CB, muita água vai passar em baixo da Ponte do Guaíba.nAbs. Dorian Bueno, POA