Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de abril de 2017. Atualizado às 23h56.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

palco giratório

Notícia da edição impressa de 19/04/2017. Alterada em 18/04 às 17h31min

Diversidade de linguagens cênicas é atração no 12º Festival Palco Giratório Sesc-RS

Trilogia Abnegação integra o Palco Giratório Sesc

Trilogia Abnegação integra o Palco Giratório Sesc


JENNIFER GLASS/DIVULGAÇÃO/JC
A diversidade de linguagens cênicas estará representada na Capital entre 4 e 28 de maio, no 12º Festival Palco Giratório Sesc-RS. Os ingressos começam a ser vendidos hoje no Sesc Centro (Alberto Bins, 665) com valores entre R$ 10,00 e R$ 20,00. A programação conta com mais de 54 espetáculos de 46 grupos, de 13 estados, sendo um internacional, direto da Bolívia, uma coprodução Brasil/Itália, além de exposição, debates e seminário. 
Jane Schoninger, coordenadora de Artes Cênicas Sesc-RS e curadora do Palco Giratório Nacional, explica que essa edição recebe grupos que trabalham por meio da construção colaborativa e atuam além do palco: na formação de atores e plateia. Ela destaca, também, peças que se caracterizam pela presença de um corpo político em cena e que dialogam com o espaço da cidade.
Os gaúchos da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz são os homenageados nacionais desta edição - seu mais novo espetáculo de rua, Caliban - A tempestade de Augusto Boal, vai percorrer Brasil dentro do 20º Circuito Nacional Palco Giratório. Outro representante gaúcho, tanto no circuito nacional quanto no festival local, é a intervenção urbana Dilúvio MA, com Marina Mendo e Rossendo Rodrigues.
Entre os destaques estão o musical Auê, da Cia. Barca dos Corações Partidos (RJ), com a direção de Duda Maia; Os Arqueólogos, do Empório de Teatro Sortido (SP) com texto de Vinicius Calderoni e direção de Rafael Gomes; e Cabeça (um documentário cênico), com direção de Felipe Vidal (RJ).
O grupo Amok Teatro (RJ) trará dois espetáculos. Salina - A última vértebra conta a saga da personagem de mesmo nome. Já Os cadernos de Kindzu é uma criação da Amok a partir da obra do escritor moçambicano Mia Couto. O grupo paulistano Tablado de Arruar apresenta a Trilogia Abnegação, escrita por Alexandre Dal Farra e composta pelos espetáculos Abnegação I, Abnegação II - O começo do fim, e Abnegação III - Restos. O Coletivo As Travestidas (CE) retorna ao Festival com o espetáculo Quem tem medo de travesti, um olhar artístico sobre o universo trans.
A programação inclui atrações para o público infantojuvenil, como Abrazo, do Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare (RN); FUI!, da Cia. Senhas de Teatro (PR); Feito criança, da Cia. Rústica (RS); A gaiola, com direção de Duda Maia (RJ); e Solidão, do Folias d'Arte (SP), com o ator Airton Graça.
Ainda no Palco Giratório estreia o projeto Transit: 2 diretores brasileiros, 1 texto alemão, uma realização do Goethe-Institut Porto Alegre. Os diretores Camilo de Lélis e Alexandre Dill foram convidados para, separadamente, encenarem As trevas risíveis (2015), do alemão Wolfram Lotz.
Uma novidade é uma coprodução entre Brasil e Itália - A dois passos -, com direção do mestre russo Gennadi Bogdanov, referência em biomecânica teatral, e atuação do gaúcho Marcelo Bulgarellie e do italiano Claudio Massimo Paternò.
Há também a participação do espetáculo internacional Mar, do Teatro de Los Andes na Bolívia - o grupo fará um intercâmbio com a Usina do Ator, que também integra a programação com a exposição Usina do Trabalho do Ator - 25 Anos de Performatividade, no Café Sesc Centro, e com os espetáculos Dança do tempo, Eu não sou macaco! e Histórias negras para crianças de todas as cores voltada ao público infantojuvenil - os dois últimos com atuação de Dedy Ricardo.
O Palco Giratório promove, ainda, o seminário Práticas de emergência cênica. Serão sete encontros com o objetivo de colocar em foco práticas e discursos artísticos. A atividade é gratuita e as inscrições devem ser feitas pelo e-mail palcogiratoriosesc@sescrs.com.br.
A programação é composta por 20 espetáculos selecionados pela curadoria nacional, além de outras 34 atrações convidadas. A agenda e informações sobre ingressos estão em www.sesc-rs.com.br/palcogiratorio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia