Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de abril de 2017. Atualizado às 22h05.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Serviço

Notícia da edição impressa de 18/04/2017. Alterada em 17/04 às 20h07min

Alta demanda é desafio da Defensoria Pública

Heerdt espera superar falta de atendimento em 12 comarcas do Estado

Heerdt espera superar falta de atendimento em 12 comarcas do Estado


CLAITON DORNELLES /JC
Laura Franco, especial
"O atendimento à população é a nossa missão." É assim que o defensor público-geral do Estado, Cristiano Vieira Heerdt, resume o objetivo da instituição. Em seu primeiro ano de gestão à frente da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul (DPE), aponta que obteve resultados positivos na estruturação de sedes em Porto Alegre e no interior do Estado, mas ainda vê como um desafio a expansão do serviço através do aproveitamento de concursados.
Segundo Heerdt, o último certame teve 53 aprovados, mas, em meio a um cenário de retratação econômica, empossá-los significa uma dificuldade. "Nosso custeio está congelado desde 2015. Mesmo assim, tivemos um incremento de pessoal de 7,8% de 2016 para 2017. Nomear esses outros defensores e manter nosso quadro de estagiários é uma de nossas metas, mesmo que haja restrição orçamentária", garante.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia