Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de abril de 2017. Atualizado às 23h01.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 13/04/2017. Alterada em 12/04 às 18h51min

Cadê o trem?

Carlos Rodrigues Ribeiro
Com desesperança e insatisfação, vejo na imprensa local a mobilização de vários segmentos da sociedade, principalmente da zona Sul do Estado, clamando pela conclusão da duplicação da BR-116 entre Porto Alegre e Pelotas. Alegam que vidas são ceifadas diariamente. Esquecem, a maioria por desconhecer, mas alguns por interesses, que a ligação ferroviária entre Porto Alegre e Pelotas constou pela primeira vez no Plano Nacional de Viação em 1897.
Se pesquisarmos matérias divulgadas no século passado a respeito dessa ligação ferroviária, veremos que os segmentos que defendem a pronta conclusão da duplicação da BR-116 alegavam, que antes de se construir a ferrovia, se deveria investir no transporte via Lagoa dos Patos, que é muito mais barato.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia