Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 01h01.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 16/03 às 01h02min

Transferindo responsabilidades

Nilton Neco
Uma das questões em debate na Comissão Especial da Reforma da Previdência é o possível fim da isenção tributária concedida a entidades filantrópicas ou pelo menos imunidade àquelas que prestem todos os serviços gratuitos, já que hoje o STF entende que qualquer entidade que faça um mínimo de ação filantrópica poderá se candidatar às isenções.
Apenas neste ano, os cálculos são de que as isenções previdenciárias concedidas a essas instituições custarão R$ 12,45 bilhões à Previdência Social - é o dinheiro que deixa de ser arrecadado, já que essas entidades não pagam a parte do empregador ao INSS.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia