Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de março de 2017. Atualizado às 22h32.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

editorial

Notícia da edição impressa de 14/03/2017. Alterada em 13/03 às 22h35min

Lista de Janot preocupa o mundo político brasileiro

A chamada Lista de Janot, alusão ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tem pedidos para dezenas de inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), com base nas delações premiadas de 78 executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht. Os pedidos devem ser analisados pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo.
A lista incluiria nomes de parlamentares, ministros e até membro do Tribunal de Contas da União (TCU). Novamente, fica-se com duas sensações distintas e, em tese, conflitantes, ou seja, alegria por ver que há investigações sérias, mesmo que demoradas, os que foram denunciados nas delações premiadas estão sendo levados à apreciação do Poder competente, mas, por outro lado, dá um desânimo ver tantos envolvidos em corrupção, ou, pelo menos, acusados de a ter praticado.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia