Inovação é o caminho para a evolução



Inovação - Marcas de Quem Decide
Crédito: JANNOON028/FREEPIK/

Inovar, criar, reinventar. Em um mundo de tão intensas e rápidas transformações, é preciso ser ágil e eficiente. "A inovação distingue os líderes dos seguidores". A famosa frase de Steve Jobs, fundador da Apple e um revolucionário do mundo da tecnologia, reflete tudo aquilo que se espera de quem quer vencer e ter sucesso na vida, de quem almeja grandes posições e quer ser reconhecido por isso. Empresas, organizações e profissionais correm atrás de atualização, novidades e ineditismo, mas há quem defenda que inovação não é, necessariamente, a reinvenção da roda, mas o aprimoramento de soluções já existentes. Afinal, quem se arrisca a definir o que é inovação?
"Acreditamos que inovar significa ir além da criação de novos produtos, serviços ou tecnologia. Compreendemos a inovação como a capacidade que as empresas possuem para se reinventar, criar caminhos e novas estratégias para atingir um determinado objetivo", propõe o vice-presidente de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional da Gerdau, Francisco Fortes.
Conhecida por investir fortemente em inovação e novos processos, a Gerdau busca atuar de forma cada vez mais sustentável em seus negócios, uma vez que o processo de transformação da indústria passa por diversas frentes além da inovação. "Trabalhamos com o conceito de Open Innovation como uma maneira rápida de termos acesso ao que de mais inovador está ocorrendo no mercado. Esta metodologia de trabalho garante que os envolvidos nos projetos tenham foco e explorem a fundo as oportunidades. Dessa forma, acreditamos colaborar com o avanço tecnológico da cadeia de valor em que atuamos, desenvolvendo melhorias contínuas em nossos produtos e serviços", afirma Fortes.
Como exemplo, ele cita o programa Work in Progress, uma parceria da Gerdau com a ACE, uma das mais reconhecidas aceleradoras da América Latina, e outras grandes empresas do setor de construção civil para estimular a busca de novas soluções que tragam às grandes cidades brasileiras melhor qualidade de vida, sustentabilidade e eficiência nas operações para os próximos anos. "O projeto nasceu com a missão de lançar soluções de nível global para questões de urbanização nas cidades, envolvendo temas como o déficit habitacional ou a superpopulação em grades centros", conta o vice-presidente de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional.
Outra iniciativa com viés inovador é a presença da Gerdau no espaço de coworking Cubo, em São Paulo, onde estão hospedadas mais de 50 startups. "Nossas áreas estão em constante contato com eles, visando à obtenção de soluções para nossos desafios, visto que esta parceria possibilita ótimas conexões com o que está sendo desenvolvido em termos de inovação", explica Fortes. "Além disso, podemos destacar também o primeiro Hackathon Gerdau, programa inédito no setor do aço no Brasil, realizado em 2016. Cerca de 50 estudantes das áreas de engenharia, design, marketing e desenvolvimento de sistemas participaram da maratona para o desenvolvimento de soluções tecnológicas e inovadoras. O evento foi realizado em parceria com a Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP). Os projetos envolveram os conceitos de big data, analytics, gamificação e internet das coisas para o desenvolvimento de uma solução de marketing e vendas para a empresa", complementa.
A Marcopolo é outra empresa gaúcha que sempre investiu em inovação, primeiro de maneira mais tradicional, procurando aprimorar seus produtos e processos envolvidos em sua fabricação e, mais recentemente e consciente do seu papel social, a empresa passou a ter na inovação um importante norteador para suas atividades. "Hoje, a inovação é uma ferramenta para atrair e reter talentos e uma forma de se posicionar na sociedade", define o diretor de Estratégia e Negócios Internacionais da empresa de ônibus de Caxias do Sul, André Vidal Armaganijan.
 
André Vidal Armaganijan, diretor de Negócios Internacionais da Marcopolo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
André Vidal Armaganijan
Uma das formas que a Marcopolo escolheu para disseminar o papel que a inovação tem foi a criação de seu Innovation Center (MIC). Nele, a empresa reuniu diversos profissionais de diferentes áreas para pesquisar, analisar, desenvolver, definir tendências e antecipar o que ainda será necessário ou desejado pela sociedade.
"Inovar é evoluir, olhar para o futuro e construí-lo ativamente. Quanto mais evoluímos, mais buscamos a inovação como caminho. Não tem volta. Inovar é estar à frente, descobrir novos caminhos, novos produtos e criar tendências, o que implica em diversas outras atitudes. E, por isso, não se limita aos produtos, processos e serviços, mas a uma postura consciente que envolve cada ação e área da empresa", defende Armaganijan.
Quem também não mede esforços quando o assunto é tecnologia e inovação é a Tramontina, de Carlos Barbosa. "Investir continuamente na atualização tecnológica dos meios de produção, na expansão das áreas industriais e no conhecimento são prioridades na Tramontina", garante o presidente do Conselho de Administração da empresa, Clovis Tramontina. "Tudo é feito para assegurar a constante melhoria dos processos e atender a dinâmica de um mercado sempre em transformação. É dessa forma, buscando renovação permanente, que a empresa garante sua credibilidade nos mercados nacional e internacional."
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/01/27/206x137/1_cf118tramontina08-1460257.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'588b8e6656d92', 'cd_midia':1460257, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/01/27/cf118tramontina08-1460257.jpg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '533', 'align': 'Left'}
Clóvis Tramontina
Com novas tecnologias e projetos, a Tramontina mantém suas linhas de produtos em evolução permanente. As fábricas contam com Centros de Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento, conhecidos como CIPeD, estruturas 100% dedicadas à missão de inovar, atuando na elaboração de tecnologias que garantam o padrão de qualidade Tramontina. "Também buscamos inovação na formação e treinamento das pessoas, desenvolvendo competências", diz Tramontina. "O resultado é um conjunto de fábricas que se renova diariamente e mantém jovem uma marca com mais de um século de história".
Para a Stara, indústria de implementos agrícolas de Não-Me-Toque, as formas mais eficientes de investir em inovação é buscar conhecimento junto às universidades e centros de pesquisas do mundo inteiro, para poder identificar as melhores oportunidades, e andar lado a lado com o produtor. "Às vezes, ele nem sabe o que gostaria de ter, mas sabe que tem um problema e como poderia resolvê-lo, e quem conseguir solucionar isso com tecnologia e inovação, com certeza irá conquistar sua confiança e preferência", aposta o diretor-presidente da Stara, Gilson Trennepohl.
As vantagens, de acordo com ele, são ainda maiores. "É claro que investir em inovação e andar na frente é caro. Por outro lado, isso também te leva a ter talentos que queiram trabalhar contigo porque sabem que a empresa irá inovar e conferir a eles a chance de explorar todo o seu poder de criação", evidencia Trennepohl. "Com esses talentos criando o tempo todo dentro da empresa, estamos inovando e construindo com muita solidez um caminho de reconhecimento brasileiro e mundial pelo o que a Stara faz, que é a busca de produzir mais alimentos com menor custo e maior produtividade. Esse sempre foi o nosso lema", ressalta o diretor-presidente.

Cases inovadores recebem destaque e reconhecimento

Tramontina é premiada no iF Design Award 2017
A conquista mais recente da Tramontina foi com o Cooktop Penta Inox Flat 5GX 90 Safestop, da Tramontina Design Collection, linha Premium da marca, que foi um dos 26 projetos brasileiros premiados no iF Design Award 2017, mais importante prêmio do design mundial. Além disso, a Tramontina foi agraciada, em 2014 e 2015, com os prêmios Campeãs da Inovação, no quesito Tecnologia; Prêmio Lide de Varejo, em 2015; Marcas de Maior Prestígio da Revista Época, em 2015; e reconhecida como uma das Marcas de Maior Reputação pela Fundação Dom Cabral e Merco (Monitor Empresarial de Reputação Corporativa).
Usina Digital torna operações mais eficientes
A Usina Digital teve início no final de 2015, quando a Gerdau iniciou o projeto de digitalização em suas usinas para torná-las mais eficientes no fluxo de trabalho por meio da tecnologia. A aplicação de métodos ágeis, filosofia aplicada nas companhias globais do Vale do Silício, também serviu como base para a companhia obter bons resultados em suas operações. O Projeto Gerdau 2022, que envolve a modernização da cultura da empresa, também teve enorme contribuição para as transformações da organização.
Marcopolo prioriza investimentos em conforto e segurança
A Marcopolo lançou recentemente o Easy Boarding, ou Dispositivo de Poltrona Móvel, para fazer o embarque de pessoas com mobilidade reduzida ou portadora de deficiências; Agora, está para lançar a poltrona antissono, que tem como objetivo prolongar o estado de alerta e atuar durante as fases de sonolência e fadiga dos motoristas de veículos pesados - ônibus e caminhões - e, assim, reduzir o índice de acidentes causados no transporte de pessoas e de cargas. É equipada com dispositivos de distração mecânica e fisiológica que atuam para prolongar o estado de alerta nesses profissionais nos momentos e horários críticos.
Stara tem projetos premiados dentro e fora do Brasil
Em dezembro de 2016, a Stara foi uma das 17 empresas do mundo que recebeu o troféu Excellence Award 2016, prêmio que reconhece globalmente as empresas que desenvolvem ferramentas inovadoras utilizando a plataforma de tecnologia e suporte da SAP. A Stara foi reconhecida pelo projeto que une as informações da Telemetria Stara com um sistema ERP da SAP que utiliza tecnologias de internet das coisas e plataformas Cloud. Outra importante conquista de 2016 foi o Prêmio Gerdau Melhores da Terra, na categoria Novidade Expointer, com o pulverizador autopropelido Imperador 3.0.
 

Crise é sinônimo de oportunidade para a inovação

Gilson Trennepohl, 
diretor-presidente da Stara

Gilson Trennepohl, diretor-presidente da Stara
Crédito: STARA/DIVULGAÇÃO/JC

Quando o assunto é crise econômica, as marcas líderes de inovação são unânimes ao afirmar que encaram esses períodos como uma oportunidade de crescimento e evolução. "Em épocas de crise, temos que continuar investindo, mas atentos à revisão de processos", pondera Clovis Tramontina. "É isso que a nossa empresa faz: investe em novos equipamentos e produtos. Nos últimos três anos, abrimos várias lojas exclusivas da marca e realizarmos projetos parceiros com nossos clientes".
Independente dos desafios que o setor enfrente, a inovação precisa ser vista como a base para a estratégia de negócios da organização. É nisso que a Gerdau aposta. "O mindset inovador dos nossos colaboradores, por exemplo, nos permite arriscar por meio da flexibilização e colaboração de toda a empresa. Dessa forma, os ciclos de criar, testar, errar rápido, aprender e seguir adiante se tornam mais curtos e, consequentemente, todos se engajam para o alcance dos objetivos da companhia", esclarece Francisco Fortes.
Do ponto de vista de André Armaganijan, da Marcopolo, crise e inovação andam muito próximas, pois a crise instiga a mudança e impulsiona à evolução. "A crise nos tira da zona de conforto e faz com que busquemos novas formas de enxergar o mundo e realizar as coisas. Na crise, somos obrigados a analisar, repensar e recriar para conseguirmos superar aquela situação. Ela possibilita que tracemos novos caminhos não pensados ou adotados antes", constata.
Para o diretor-presidente da Stara, a crise deve ser vista como uma chance de fazer melhor. "A mudança vem quando o cenário não está bom, daí mexem-se as pedras e fazem-se os movimentos para que haja um retorno na rentabilidade", observa Gilson Trennepohl. Segundo ele, foi em meio à atual crise pela qual o País está passando que a Stara apresentou aos clientes do mundo inteiro, em fevereiro deste ano, três máquinas inovadoras que logo se tornaram líderes absolutas de mercado. "A Stara sempre se ajusta às crises e aproveita essas oportunidades que ela traz", reitera.
 

Marca Gaúcha Inovadora é novidade do Marcas de Quem Decide

Francisco Fortes, vice-presidente de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional da Gerdau

Francisco Fortes, vice-presidente de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional da Gerdau
Crédito: GERDAU/DIVULGAÇÃO/JC

Neste ano, entre as categorias especiais da pesquisa Marcas de Quem Decide, foi criada a Marca Gaúcha Inovadora. A Tramontina conquistou a liderança tanto na lembrança quanto na preferência dos entrevistados.
"Desde o início da sua trajetória, a Tramontina sempre confiou nas pessoas e, aos poucos, foi também conquistando confiança, estabeleceu importantes parcerias que possibilitaram seu crescimento no mercado e, acima de tudo, firmou relações pautadas pelo respeito recíproco. A Tramontina acredita na legitimidade de sua marca, pois ela agrega e reflete todos os valores da empresa. A valorização das pessoas e o respeito ao ambiente são características fortes que norteiam as ações das dez unidades fabris, sempre preocupadas com o bem-estar e a qualidade de vida das comunidades onde estão inseridas", declara o presidente do Conselho de Administração da empresa, Clovis Tramontina, sobre a conquista da primeira colocação. "Para a Tramontina, fazer bonito é mais do que fazer bem feito. É proporcionar às pessoas a satisfação de preparar algo com as próprias mãos. É apostar em um negócio que valoriza as pessoas e gera ganhos para toda a sociedade".
O segundo lugar na preferência e o terceiro na lembrança ficou com a Gerdau. "A inovação está no DNA de nossa empresa. Em 116 anos de história, buscamos desenvolver os melhores produtos, que são responsáveis por mover as principais indústrias do país, como a automotiva e construção civil. Dessa forma, também nos aproximamos do dia a dia das pessoas, uma vez que as aplicações derivadas do aço são infinitas. Nossa marca está presente na construção de casas, bens de consumo, bens de capital, utilidades domésticas e também na produção e distribuição de energia para o país", descreve o vice-presidente de Pessoas e Desenvolvimento Organizacional da Gerdau, Francisco Fortes.
A Marcopolo ficou com a segunda colocação na lembrança e a terceira na preferência. Para o diretor de Estratégia e Negócios Internacionais da empresa, André Armaganijan, estar entre as principais marcas reconhecidas como inovadoras representa a consolidação de diversas ações adotadas há muitos anos pela Marcopolo com o objetivo de perpetuar a companhia e torná-la referência nacional e internacional no segmento de ônibus e na indústria automobilística.
"Ao longo desse período, a empresa vem desenvolvendo soluções e produtos, criando tendências e levando até o consumidor final e usuário dos seus veículos as inovações, sempre com o intuito de promover o bem-estar e a qualidade de vida", ressalta o diretor. "Esta estratégia não se limita apenas aos seus produtos e processos, mas envolve também ações ligadas ao meio ambiente, à sustentabilidade e responsabilidade social, que estão alinhadas com o importante papel que a fabricante tem no Rio Grande do Sul, no Brasil e no exterior".
O quarto lugar ficou com o Grupo RBS e o quinto, com a Stara, de Não-Me-Toque, tanto na lembrança quanto na preferência. "Por muitos anos, a Stara tem apresentado à comunidade científica, às universidades e aos produtores rurais inovações significativas de produtos que têm asfaltado o caminho da Stara como uma empresa inovadora por excelência. Nós não só estamos inovando, como estamos criando tendências, o que talvez seja o que mais marca na cabeça de quem está do outro lado, avaliando o desempenho e escolhendo as marcas inovadoras", acredita o diretor-presidente da Stara, Gilson Trennepohl. "Fazer melhorias nas máquinas que já existem é uma coisa, criar tendências é outra. Uma delas foi ser a primeira a imaginar e praticar agricultura de precisão. Isso se tornou tão forte que, quando se fala em agricultura de precisão, o nome da Stara está junto, 'linkado', porque ela foi, há 17 anos, pioneira em trazer essa inovação que antigamente parecia um sonho maluco e hoje é uma realidade".

Publicado em 27/03/2017.