Empresas vencedoras têm marketing inteligente, afirma Luiz Borges



Luiz Borges, diretor comercial do JC
Crédito: JONATHAN HECKLER/JC

A necessidade de adaptação das marcas em um mundo em profunda transformação com as pessoas cada vez mais conectadas fez o diretor comercial do Jornal do Comércio, Luiz Borges, lembrar, na abertura do evento Marcas de Quem de Decide, de um artigo do publicitário Nizan Guanaes no JC, no qual este diz que o jovem não detesta a publicidade, mas sim a chatice.
A boa propaganda deve ser inteligente, com um enredo capaz de entreter e engajar, tornando a marca protagonista no mercado em que atua, conforme Borges. Ele observou que, se vivemos num mundo em transformação, devemos levar essa transformação para o mundo das marcas.
Borges citou também o diretor de Marketing e Comunicação da IBM, Mauro Segura, ao reforçar que estamos apenas no início de um grande período de inovação disruptiva, mas não podemos esquecer que os alicerces do marketing não mudaram: "Temos que continuar a estabelecer um relacionamento saudável com o consumidor, com uma comunicação clara e honesta, porque, em um mundo hiperconectado, o consumidor ganhou poder, com uma vasta tecnologia na palma de suas mãos".
Para completar, Borges lembrou que a escola de samba Portela ganhou o título de campeã do Carnaval do Rio de Janeiro e que o carnavalesco Paulo Barros comentou que a perfeição da Portela foi a partir de um trabalho sério. "É isso que a pesquisa Marcas de Quem Decide tem demonstrado nestes 19 anos. As marcas vencedoras são construídas através de um trabalho sério, envolvendo um enredo trabalhado por diversas pessoas atrás dela."


Publicado em 07/03/2017.