Marcas estão entre um like ou um dislike


Luiz Borges, diretor comercial do Jornal do Comércio, Luiz Borges, diretor comercial do Jornal do Comércio,

luiz.borges@jornaldocomercio.com.br


E estamos apenas no início de um grande período de inovação disruptiva, mas não podemos esquecer que os alicerces do marketing não mudaram. Temos que continuar a estabelecer um relacionamento saudável com o consumidor, com uma comunicação clara e honesta. Marcas de Quem Decide é o mais abrangente estudo de lembrança e preferência de marcas (top of mind e top of preference).


O que poderíamos definir como a pós-modernidade do consumo já está acontecendo. O crescimento do tráfego de dados móveis até 2018 deverá ser de 11 vezes o atual, crescendo mais de 60% ao ano. A fragmentação e pluralismo da informação forçam a reflexão de quem detém marcas líderes e os departamentos de marketing desenvolvem novas conceituações e abordagens para conquistar o consumidor que tem acesso à empresa por diversas portas.
Para a empresa saber, conhecer e agir o tempo está cada vez menor. Apenas um like ou um dislike. As empresas que reagirem antes de seus concorrentes podem se dar bem ou simplesmente podem cair fora do mercado.
E estamos apenas no início de um grande período de inovação disruptiva, mas não podemos esquecer que os alicerces do marketing não mudaram. Temos que continuar a estabelecer um relacionamento saudável com o consumidor, com uma comunicação clara e honesta porque em um mundo hiperconectado o consumidor ganhou poder com uma vasta tecnologia a sua disposição.
Em 19 anos da pesquisa Marcas de Quem Decide feita pelo Jornal do Comércio em parceria com a Qualidata nunca as empresas líderes dos mais diversos segmentos pesquisados estiveram tão preocupadas em como suas marcas estão sendo vistas no meio de um turbilhão de informações, as mais diversas plataformas e consumidores hiperconectado cada vez mais inconstantes.
O projeto Marcas de Quem Decide é o mais abrangente estudo de lembrança e preferência de marcas (top of mind e top of preference). O estudo não se limita a descobrir apenas a posição da marca na memória de um consumidor com alto poder de decisão, mostrando também o desempenho no momento da compra.
Entre as categorias especiais pesquisadas foi criada a Marca Gaúcha Inovadora. As empresas buscam vantagem competitiva para poder se destacar, e o investimento em inovação (págs 87 a 89) é a chave para que consigam a transformação necessária para atingir este objetivo.
Nesta edição, reunimos profissionais de marketing para discutir com convidados empreendedores o momento atual tão desafiador (págs. 74 a 79).
Ouvimos os principais reitores e diretores das universidades estabelecidas no Rio Grande do Sul sobre o impacto que as tecnologias digitais provocam nas formas de aprendizagem da educação executiva e no mercado do trabalho (págs. 54 a 56).
Temos também uma entrevista exclusiva com diretor de Comunicação e Marketing da IBM Brasil, Mauro Segura, talvez o executivo mais conectado do Brasil. É sua a frase “a única certeza nessa loucura toda é que o marketing que fazemos hoje estará morto na próxima década”, (págs 16 a 18).
Ainda temos outras entrevistas com algumas profissionais de destaque no mercado, onde relatam suas experiências além dos tradicionais artigos escritos por empresários, executivos, gestores de marcas, publicitários e autoridades sobre tendências mercadológicas.
As posições obtidas pelas marcas preferidas e lembradas na pesquisa serão mostradas em gráficos produzidos pela Qualidata, acompanhados de análises sobre cada um dos setores avaliados.
Para manter os seus conteúdos relevantes por mais tempo, as marcas precisam despertar a curiosidade do público. Por isso, neste ano incluímos espaços de branded content. Ao invés de uma propaganda tradicional, a empresa cria algo novo para conquistar mais proximidade com seu público.
Ainda nesta edição estão publicadas imagens do café da manhã realizado no Salão de Eventos do Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre, onde tivemos a apresentação do trio vocal Grupo Boss interpretando clássicos internacionais de diferentes épocas.
O projeto gráfico do caderno Marcas de Quem Decide deste ano busca um formato com design leve e inovador privilegiando e valorizando as imagens inseridas nos conteúdos ao longo da edição. Tudo isso para tornar a leitura ainda mais agradável e inspiradora nos diversos formato e plataformas.
Acompanhando essa inovação, o site do Marcas também passou por uma reformulação no design, abrindo mais espaços para o conteúdo e anunciantes. O conteúdo desta edição está disponível em todas as plataformas para facilitar o acesso o ano todo, assim como as edições passadas.
Agradeço às equipes do JC e da Qualidata por este trabalho que envolve muita dedicação e sintonia. Aos pesquisadores, entrevistados, aos diretores de empresas, executivos, publicitários e professores que colaboraram com o seu conhecimento para artigos sobre branding e aos anunciantes que há 19 anos acreditam e prestigiam o projeto Marcas de Quem Decide.
Boa leitura e até 2018, quando o Marcas de Quem Decide completará 20 anos!
Confira o depoimento de Luiz Borges na 19ª edição do Marcas de Quem Decide:
Publicado em 27/03/2017.