Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 21h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

20/03/2017 - 20h47min. Alterada em 20/03 às 21h15min

UE diz que diálogo sobre comércio com EUA está em "profundo congelamento"

A Comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmström, afirmou nesta segunda-feira que o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, envia "sinais preocupantes" em relação ao comércio. A principal autoridade da União Europeia sobre o tema argumentou que a construção de barreiras ao comércio global ameaça acabar com empregos e elevar preços para os consumidores, tanto nos países desenvolvidos quanto nos emergentes.
Em Toronto, Malmström disse que a UE busca fortalecer seus laços comerciais com parceiros como Canadá, após as duas partes fecharem um acordo no setor no ano passado. Por outro lado, a autoridade europeia disse que as conversas sobre um pacto de livre-comércio com os EUA estão em "profundo congelamento", no momento em que o governo Trump busca acordos bilaterais, em vez de regionais ou multilaterais.
A UE, segundo ela, continuará a buscar um comércio mais liberalizado pelo mundo, mesmo após o Reino Unido deixar o bloco Isso, segundo Malmström, criará a necessidade de se fechar um acordo comercial entre o país e a UE. "Nós não concordamos com aqueles que pensam que a resposta é erigir barreiras", afirmou a autoridade em discurso na Universidade de Toronto
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia