Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 13h56.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 20/03 às 14h01min

Nenhuma informação apoia alegação de Trump de grampo telefônico, diz FBI

Agência estado
O diretor do FBI, Jamey Comey, afirmou em depoimento no Congresso norte-americano que não tem nenhuma informação que confirme a acusação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o ex-presidente, Barack Obama tenha, feito um grampo telefônico na Trump Tower antes das eleições presidenciais.
"Não há informações que apoiem tuítes de Trump, olhamos com cuidado dentro do FBI", declarou Comey.
Comey afirmou que nenhum indivíduo pode ordenar a vigilância de outro cidadão americano, o que só é permitido após um processo muito rigoroso aprovado pela Justiça.
Na mesma sessão no Congresso, o diretor da agência de Inteligência dos EUA, a NSA, Michael Rogers, concordou com uma afirmação de um dos entrevistadores do painel que seria "ridículo" sugerir que o serviço de Inteligência britânico teria ajudado Obama a obter informações sobre a campanha de Trump, uma alegação que o secretário de Imprensa da Casa Branca fez referência durante uma coletiva de imprensa na semana passada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia