Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 22h40.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

Notícia da edição impressa de 17/03/2017. Alterada em 16/03 às 22h35min

May sinaliza que não apoiará referendo da Escócia

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, deu um forte sinal de que não irá concordar com um segundo referendo sobre a independência da Escócia enquanto seu país permanecer na União Europeia (UE), preparando o terreno para um confronto com a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon. Em entrevista nesta quinta-feira, May disse que é preciso colocar "todas as energias" nas negociações da saída do bloco europeu e que um novo referendo antes da conclusão do Brexit poderia pôr em risco o poder de barganha do Reino Unido.
Sturgeon declarou, na segunda-feira, que quer um novo referendo na Escócia, que votou majoritariamente pela permanência na UE, antes do fim das negociações de dois anos. Em mensagem no Twitter, ela disse que seria "antidemocrático" para Londres frustrar a votação escocesa. O governo do Reino Unido precisa autorizar a realização do referendo para que ele seja considerado legal.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia