Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de março de 2017. Atualizado às 13h00.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

saúde

20/03/2017 - 20h24min. Alterada em 21/03 às 13h00min

Anvisa proíbe venda de paçoca por alto teor de substância cancerígena

Anvisa interditou um lote de paçoca rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia (GO)

Anvisa interditou um lote de paçoca rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia (GO)


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou nesta segunda-feira (20), um lote de paçoca rolha da marca Dicel, produzida em Goiânia (GO). Os produtos interditados excediam o limite permitido de aflatoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos que podem causar câncer.
Segundo a resolução, o lote 0027, fabricado em 18 de novembro do ano passado, com validade até 18 de novembro deste ano, estava impróprio para o consumo. O alimento é distribuído pela Indústria e Logística Westhonklauss Constante Ltda.
O laudo do Laboratório de Análise Micotoxicológicas, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, atestou teores de aflatoxinas acima do limite máximo tolerado para amendoim com casca, descascado, cru ou tostado, pasta de amendoim ou manteiga de amendoim.
A interdição vale para todo o território nacional. Procurada, a Dicel informou que não havia sido notificada sobre a interdição.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia