Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 19 de março de 2017. Atualizado às 22h58.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Notícia da edição impressa de 20/03/2017. Alterada em 19/03 às 22h54min

Ato no Parcão defende armamento à população capacitada tecnicamente

Grupo Armas pela Vida pede revisão do Estatuto do Desarmamento

Grupo Armas pela Vida pede revisão do Estatuto do Desarmamento


MARCO QUINTANA/JC
Dezenas de pessoas participaram ontem no Parque Moinhos de Vento, o Parcão, de um ato em defesa do armamento da população, através da alteração do Estatuto do Desarmamento. Essa foi a segunda manifestação do grupo denominado Armas pela Vida, favorável à revisão da legislação por entender que o acesso à arma de fogo do cidadão, se capacitado técnica e psicologicamente e sem antecedentes criminais, é "imprescindível para a defesa dos interesses da sociedade".
"O desarmamento se revelou prejudicial à segurança pública, à liberdade e à paz social. A sociedade gaúcha e brasileira, depois de desarmada, se encontra cada vez mais acuada, e as pessoas são impedidas de defender a si, às suas famílias e ao próximo", diz Diego Ferreira, um dos porta vozes do grupo. O filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC), Eduardo Bolsonaro, esteve presente no evento.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia