Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de março de 2017. Atualizado às 12h36.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Investigação

17/03/2017 - 11h24min. Alterada em 17/03 às 12h38min

Ações da JBS e da BRF devem ser penalizadas pela operação Carne Fraca

Diante da agenda de indicadores esvaziada e do mercado acionário internacional fraco, o noticiário corporativo tende a conduzir os negócios no pregão de desta sexta-feira (17). As ações da JBS e da BRF devem ser penalizadas pela operação Carne Fraca, deflagrada no período da manhã pela Polícia Federal,para combater corrupção de agentes públicos federais e crimes contra a saúde pública. As duas companhias são alvo da ação, que já prendeu executivos do frigorífico JBS mais cedo.
Segundo a PF, o esquema seria liderado por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. A operação detectou em quase dois anos de investigação que as Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam diretamente para proteger grupos empresariais em detrimento do interesse público.
A expectativa é que poderá afetar as ações de empresas do setor na Bolsa e poderá prejudicar a Oferta Pública Inicial (IPO) que o JBS está preparando na Bolsa de Nova Iorque.
Entre as blue chips, os papéis da Petrobras devem ser beneficiados pela recuperação dos contratos futuros de petróleo negociados no exterior. O plano de desinvestimentos da estatal também volta ao radar, depois de nova decisão da Justiça, que mandou o caso para o Supremo Tribunal Federal (STF).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia