Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 12h24.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Serviços

Alterada em 16/03 às 12h29min

Setores de telecomunicações e financeiro lideram ranking de reclamações em 2016

Telefonia celular foi o assunto mais reclamado

Telefonia celular foi o assunto mais reclamado


JUSTIN SULLIVAN/AFP/JC
Os setores de telecomunicações e financeiro lideraram o ranking de reclamações dos consumidores em 2016, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (16), pelo Ministério da Justiça.
Em 2016, Procons de todo o País fizeram 2,458 milhões de atendimentos, sendo 63,7% reclamações ou denúncias. Do total, 28,8% foram de consumidores insatisfeitos com o segmento de telecomunicações, 25,3% de assuntos financeiros, 20,9% produtos, 13,4% serviços privados e 7,6% serviços essenciais.
Os assuntos mais reclamados foram telefonia celular (13,9%), telefonia fixa (8,1%), cartão de crédito (7,3%), banco comercial (6,2%), TV por assinatura (5,3%) e aparelho celular (5%).
O Ministério da Justiça também divulgou os dados de atendimento pelo portal consumidor.gov.br, criado em 2014 e pelo qual é feita a intermediação entre os consumidores e empresas cadastradas.
Foram registradas 581.946 reclamações no ano passado, com 470.426 usuários cadastrados e 372 empresas credenciadas. Pelo site, o índice médio de solução foi de 80,1%, com 99,6% de reclamações respondidas, em média por 6,1 dias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia