Em 2016, empresa se recusou a interceptar dados de investigados por tráfico internacional de drogas Muitos leitores apenas espalham uma informação que não condiz com a verdade Foto: JUSTIN TALLIS/AFP/JC

O internauta não lê o que compartilha

Ler na íntegra o que se está compartilhando nas redes sociais é uma dica válida sempre. Afinal, o título não é tudo. E esse erro de comunicação pode ter consequências indesejadas.
Recentemente, tivemos uma experiência curiosa em nossa página do Facebook. Uma articulista destacava o fato de uma padaria de Porto Alegre fechar durante todo o mês de fevereiro. Alguns leitores que encontraram o conteúdo em suas timelines entenderam (obviamente sem clicar no texto) que tratava-se de uma crítica e acabaram trocando farpas. Seus comentários, no fim das contas, diziam exatamente a mesma coisa que a articulista: fechar é um ato de resistência, frente à rotina frenética de trabalho. Ou seja, a polêmica foi em vão.
Essa é a realidade que a gente vive atualmente, de verdades criadas na internet e de posts que se bastam pela manchete. E as marcas precisam estar atentas a isso, de como a imagem delas está se espalhando por aí.
Não tem mais volta: faz parte da rotina do empreendedor esclarecer quantas vezes forem necessárias. Deixar sempre claro os seus pontos de vista. E, se houver algum mal entendido, esteja pronto para desfazê-lo. Os haters (pessoas encorajadas por estarem atrás da tela do computador para despejar ódio) se reproduzem rapidamente. E o melhor é proteger o seu negócio deles.
#fiqueligado
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio