Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 20h34.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

eliminatórias da copa

Alterada em 20/03 às 20h37min

Miranda diz que seleção brasileira voltou a ser temida na Europa

Seis vitórias seguidas, classificação encaminhada à Copa do Mundo da Rússia e reputação recuperada no exterior. O panorama atual da seleção brasileira foi descrita pelo zagueiro Miranda em entrevista coletiva nesta segunda-feira no CT Joaquim Grava. O defensor da Inter de Milão explicou que na Itália, onde joga, muitas pessoas ficaram admiradas da campanha de reação obtida pelo Brasil nas Eliminatórias da Copa do Mundo.
"Hoje a seleção tem um respeito muito grande do público europeu. Vejo a seleção lá fora com um respeito e carinho muito grandes. Os adversários sentem que a seleção brasileira é agora a seleção de sempre, respeitada e forte candidata a alcançar coisas grandes", afirmou o zagueiro, titular do técnico Tite nas últimas partidas.
Miranda afirmou que os italianos gostam muito de tática e tentam lhe perguntar sobre como o trabalho feito por Tite tem dado tanto resultado. "O italiano é apaixonado por futebol e está feliz pela seleção estar bem. Sempre me questionam quem é o treinador, por qual motivo está fazendo uma grande campanha. Estão curiosos para saber como mudou tanto a seleção", disse o defensor.
O zagueiro está na segunda passagem pela Europa, ao ter deixado o São Paulo em 2011 para reforçar o Atlético de Madrid. Antes disso, entre 2005 e 2006 o jogador atuou no futebol francês, pelo Sochaux, logo após ter se destacado no início de carreira no Coritiba.
Mesmo após ter sido capitão da seleção e titular tanto com Tite quanto com Dunga, Miranda descartou ser o dono da posição. "Na seleção brasileira temos que provar a cada jogo, a cada treino, quem merece vestir essa camisa. É muita competitividade. Sabemos que, se um jogador der brecha, o outro vai entrar e não sair mais. É bom porque o nível fica cada vez mais alto", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia