Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de março de 2017. Atualizado às 19h13.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Inter

12/03/2017 - 18h14min. Alterada em 12/03 às 19h14min

Árbitro marca pênalti inexistente e Juventude vence Inter com gol nos acréscimos

Juventude foi a 11 pontos e subiu para a quinta posição

Juventude foi a 11 pontos e subiu para a quinta posição


RICARDO DUARTE/Internacional/DIVULGAÇÃO/JC
A situação do Internacional ficou ainda mais dramática no Campeonato Gaúcho. Neste domingo (12), após a arbitragem assinalar um pênalti inexistente já nos acréscimos do segundo tempo, o Juventude derrotou o time dirigido por Antônio Carlos Zago por 1 a 0, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, pela sétima rodada da competição. O atacante Tadeu, ex-Palmeiras e São Paulo, converteu a cobrança decisiva.
 
O resultado manteve o Internacional com apenas sete pontos, mas a equipe caiu para nono lugar e está fora da zona de classificação para a próxima fase - os oito primeiros avançam. Já o Juventude foi a 11 pontos e subiu para a quinta posição.
 
Sem contar com D'Alessandro e Anselmo, suspensos, e Carlinhos, lesionado, Zago escalou Roberson no lugar do meia argentino. Já William atuou improvisado na lateral esquerda, enquanto Uendel seguiu no meio-campo.
 
E, apesar de jogar com força máxima, o Internacional parece ter sentido o gramado pesado, que quase provocou o adiamento da partida, por conta da forte chuva que caiu sobre Caxias pela manhã.
 
O Juventude, ex-clube de Zago, Roberson e Brenner, aproveitou-se da apatia adversária e quase abriu o placar aos dois minutos, mas Danilo Fernandes fez grande defesa em chute de Taiberson. Aos 15, novamente o goleiro salvou o Internacional, agora em cabeçada de Caion.
 
O time visitante ainda tentou reagir nos minutos seguintes e chegou com perigo em chute de Roberson. Mas, aos 38, foi o Juventude quem criou a melhor chance do primeiro tempo: após cobrança de falta, Danilo Fernandes saiu mal e Caion cabeceou na trave.
 
Era um amplo domínio do Juventude. E, na etapa final, com um Internacional ainda mais perdido, a pressão só aumentou. Aos seis, Danilo Fernandes novamente fez grande defesa em outro chute de Taiberson. E, apenas dois minutos depois, Bruno Ribeiro fez o inacreditável: após Caprini desviar de letra, a bola sobrou quase na linha do gol para o meia, com o goleiro no chão. Ele, porém, conseguiu chutar para fora.
 
O que já era difícil ficou ainda pior quando Charles fez falta violenta e foi expulso. Com um a menos, surpreendentemente, o Inter melhorou e Brenner desperdiçou duas oportunidades. Aos poucos, contudo, o Juventude foi retomando o domínio, embora continuasse pecando nas finalizações.
 
E, já nos acréscimos, a arbitragem assinalou incorretamente um pênalti para o time da casa - a bola desviou no peito de Junio, e não no braço. Após muita confusão, que durou mais de cinco minutos, o atacante Tadeu bateu no canto e definiu a vitória do Juventude.
 
 
Juventude 1 x 0 Internacional
Douglas; Vidal, Wanderson, Ruan, Pará, Fahel, Sananduva, Bruno Ribeiro, Taiberson (Murilo Costa), Caprini (Dieguinho) e Caion (Tadeu). Técnico: Gilmar Dal Pozzo.
Danilo Fernandes; Alemão (Junio), Léo Ortiz, Paulão; Uendel, Charles, Rodrigo Dourado, William, Roberson, Nico López (Carlos) e Brenner (Valdívia). Técnico: Antônio Carlos Zago.
Árbitro: Diego Real.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia