Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 18h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 20/03 às 18h38min

Dólar fica em geral perto da estabilidade no exterior, mas avança ante a libra

Agência estado
O dólar operou em geral perto da estabilidade nesta segunda-feira (20), com investidores de olho na possibilidade de mudanças na política comercial dos Estados Unidos que possam frear o crescimento. Ao mesmo tempo, a libra ficou pressionada, diante da notícia de que o Reino Unido acionará o artigo que inicia as negociações da saída do país da União Europeia, o chamado Brexit, no dia 29.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía a 112,56 ienes e o euro recuava a US$ 1,0742.
Lideranças globais tentaram encontrar pontos em comum no comércio na reunião do G-20, que terminou neste fim de semana. O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, convenceu os demais a não incluir uma censura ao protecionismo no comunicado final do encontro. O texto agora dá margem aos EUA para o eventual uso de sanções ou outros instrumentos políticos para punir parceiros comerciais que tenham políticas que a Casa Branca julgue injustas.
"Há uma ideia de que o protecionismo em geral não é bom para a economia dos EUA nem o dólar", disse Omer Esiner, analista chefe de mercado da Commonwealth Foreign Exchange.
Investidores também se ajustavam a uma perspectiva de um aperto mais gradual na política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). O BC americano elevou os juros na semana passada, mas sem deixar de sinalizar o ritmo gradual na condução do aperto. Juros mais altos tendem a impulsionar o dólar, o que torna a moeda mais atrativa para os investidores.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia