Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 16h28.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

e-commerce

Alterada em 20/03 às 16h32min

Preços no comércio eletrônico caem 1,95% em fevereiro, segundo Fipe Buscapé

Agência estado
Os preços do comércio eletrônico registraram queda de 1,95% em fevereiro, na comparação com o mesmo período de 2016, de acordo com o Índice Fipe Buscapé. Este foi o terceiro mês seguido de deflação, após uma série de 21 meses de alta. Em relação a janeiro de 2017, os preços subiram 0,84%.
Entre as 148 categorias monitoradas pelo índice, 88 delas registraram aumento de preços em fevereiro, na comparação anual. A queda, porém, foi impulsionada pela expressiva baixa nos preços de celulares e smartphones, que foi de 11%.
"Em fevereiro do ano passado, o e-commerce registrou um dos maiores picos de inflação de sua história, impulsionada pela crise e pela alta do dólar, que chegou a ultrapassar a casa dos R$ 4,00. Além do cenário mais estável e queda do dólar, também contribui para a redução de preços de smartphones o anúncio de lançamento de importantes marcas", disse, em nota, o CEO do Buscapé Company, Sandoval Martins.
Outras categorias que também tiveram retração foram fotografia (-4,09%), informática (-2,41%), eletrônicos (-2,05) e moda e acessórios (-1,37%).
A deflação é considerada algo natural no ambiente do varejo online. Por este ser um canal de vendas em que há forte participação de itens de tecnologia, o efeito de queda nos preços ocorre em razão de lançamentos de produtos superiores ou troca de coleções.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia