Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 19 de março de 2017. Atualizado às 23h02.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 20/03/2017. Alterada em 19/03 às 22h04min

Comunicado do grupo derruba promessa anterior de rejeitar protecionismo

As autoridades financeiras globais não conseguiram chegar a um acordo sobre uma linguagem que condenasse as políticas comerciais protecionistas, sinal de uma ruptura entre o novo governo dos EUA e outros parceiros globais. A declaração emitida após uma reunião de dois dias do G-20 na cidade alemã de Baden-Baden, diz que os governos estavam "trabalhando para fortalecer a contribuição do comércio para nossas economias", mas não mencionou a promessa anterior de rejeitar práticas protecionistas.
A declaração reiterou, porém, a defesa contra "desvalorizações competitivas" das moedas. "Não direcionaremos nossas taxas de câmbio para fins competitivos", diz o texto. O comunicado também incluiu um compromisso de aumentar a justiça na economia. "Nós nos esforçaremos para reduzir excessivos desequilíbrios globais, promover maior inclusividade e equidade e reduzir a desigualdade em nossa busca do crescimento econômico."
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia