Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de março de 2017. Atualizado às 18h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

Alterada em 17/03 às 18h56min

Petrobras reajusta preço de botijões de até 13 kg em 9,8% em média

Se aumento for integralmente repassado aos consumidor, botijão pode subir 3,1%

Se aumento for integralmente repassado aos consumidor, botijão pode subir 3,1%


PEDRO VENTURA/ABR/Arquivo/JC
A Petrobras informa que reajustará os preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial vendido em botijões de até 13 kg em 9,8%, em média. O reajuste entra em vigor à zero hora da próxima terça-feira (21).
O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados pela Petrobras sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o botijão de 13 kg pode subir 3,1% ou cerca de R$ 1,76 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos. A empresa destaca ainda que o último reajuste feito por ela ocorreu em 1 de setembro de 2015.
A correção atual não se aplica ao GLP destinado a uso industrial. "Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores", ressalta a empresa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia