Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 19 de março de 2017. Atualizado às 18h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

16/03/2017 - 11h25min. Alterada em 16/03 às 16h52min

Grupo Fraport arremata concessão do Aeroporto Salgado Filho

Dois grupos fizeram lances para arrematar o Aeroporto Salgado Filho no leilão na BM&FBovespa

Dois grupos fizeram lances para arrematar o Aeroporto Salgado Filho no leilão na BM&FBovespa


FREDY VIEIRA/JC
Atualizada às 11h45min
O grupo alemão Fraport arrematou por R$ 382 milhões o Aeroporto Internacional Salgado Filho, de Porto Alegre, no leilão de concessão que ocorreu na manhã desta quita-feira (16) na BM&FBovespa, em São Paulo. O valor teve ágio de 210,6% frente ao valor mínimo inicial exigido de R$ 123 milhões. Em comparação com ao valor da primeira parcela a ser paga, de R$ 31 milhões, o valor considerado é de R$ 290 milhões, ágio de 835,5%. A concessão é de 25 anos. 
O Fraport dirige nove aeroportos pelo mundo, entre eles o de Frankfurt e Hannover, na Alemanha - o de Frankfurt é um dos dos principais hubs da Europa, o aeroporto internacional Jorge Chavez, de Lima, no Peru, e aeroportos na Eslovênia, Rússia, Turquia, China e Índia.
Estavam em disputa também os terminais de Salvador, Fortaleza e Florianópolis. O total dos lances para as quatro praças de aeroportos somou R$ 1,459 bilhão, 93,7% acima do montante mínimo inicial previsto de R$ 753,5 milhões pelo governo federal. As propostas dizem respeito a 25% do valor de outorga dos aeroportos, parcela que será desembolsada imediatamente pelos grupos vencedores. Além do Fraport, o grupo suíço Zurich estava na disputa pelo Salgado Filho. O Fraport ofereceu inicialmente R$ 230,5 milhões e subiu a oferta no pregão viva voz.

Plano de voo: o aeroporto e a concessão

> Movimentação de passageiros 
  • 2015: 8,4 milhões passageiros/ano
  • 2042: 22,84 milhões passageiros/ano
> Investimentos: previsão de R$ 1,902 bilhão
Fase I-B
  • Ampliação do terminal de passageiros
  • Ampliação do pátio de aeronaves: 14 pontes e 8 posições remotas
  • Ampliação de estacionamento (4.300 vagas)
  • Adequação em pistas e em áreas de segurança
> Até 52 meses de eficácia do contrato:
  • Ampliação da pista de pouso/decolagem dos atuais 2.280 metros para 3.200 metros
> Outorga
Valor mínimo total: R$ 123 milhões
Valor total a ser pago pela empresa vencedora: R$ 382 milhões (ágio de 209%)
Oferta inicial mínima (25%): R$ 31 milhões
Oferta final: R$ 290 milhões (ágio 835,5%)
> Valores aproximados
Consórcio vencedor: Fraport AG Frankfurt Airport Services (alemã)
Contribuição variável anual ao Fundo Nacional da Aviação Civil (Anac): 5% da receita bruta anual
> Prazo de concessão: 25 anos (prorrogável por mais cinco anos)
> Requisitos do Operador: experiência em processamento de 9 milhões de passageiros/ano em pelo menos um dos últimos cinco anos.

Fraport também levou aeroporto de Fortaleza

O grupo alemão também arrematou o terminal de Fortaleza por R$ 425 milhões, ágio de 18% em relação ao montante mínimo inicial previsto, de cerca de 360 milhões. O aeroporto de Salvador ficou com a francesa Vinci Airports, única proposta, oferecendo R$ 660,9 milhões pela primeira parcela de outorga, um ágio de 113,2% em relação ao valor mínimo, de R$ 310 milhões. 
Pelo aeroporto de Florianópolis, a suíça Zurich levou com uma oferta inicial de R$ 83,333 milhões, o que corresponde a um ágio de cerca de 58% ante a oferta inicial mínima, que era de R$ 52,75 milhões. 
A Vinci, depois de ser a única a apresentar proposta pelo terminal da capital baiana, chegou a tentar abrir mão do aeroporto para disputar o de Fortaleza. Ao final, perdeu as disputas pela operação cearense e também pela de Florianópolis.
Com informações da Agência Estado e Anac.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
CRISTIANO 18/03/2017 17h34min
Espero que agora o aeroporto Salgado Filho seja de fato bem administrado, trabalhei tempo suficiente lá e conheci os bastidores da Infraero, 80% de servidores preguiçosos e incompetentes, apenas sugando dinheiro público, cabide de emprego, um retrato do funcionalismo público brasileiro onde uma minoria trabalha. Hora de mudar, a lástima é ter que conceder para empresas de fora para que as coisas aconteçam. Os arranjos políticos de sempre, Brasil meu Brasil quando vai mudar?!?
Fabio 16/03/2017 12h06min
Sonhos as vezes acontecem. Se tudo der certo, vamos ter um aeroporto decente, com servico voltado ao cliente e usuario e nao a um bando de corrupto funcionario publico da infraero. E a empresa e otima. Administra os melhores aeroportos da Europa. Sensacional