Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de março de 2017. Atualizado às 16h32.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 14/03 às 16h36min

Ouro fecha em leve queda, com foco no Fed e na política da Europa

O ouro fechou em ligeira baixa nesta terça-feira (14) após oscilar entre ganhos e perdas ao longo da sessão. Investidores monitoraram a provável alta de juros nos Estados Unidos, além do cenário de incerteza política na Europa.
O ouro para entrega em abril fechou em queda de US$ 0,50 (0,04%), a US$ 1.202,60 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
A maioria dos investidores espera que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) eleve os juros em 0,25 ponto porcentual nesta quarta-feira. Juros mais altos tendem a pressionar o preço do metal, que enfrenta assim mais dificuldade para competir com investimentos que pagam retorno quando o custo do empréstimo sobe.
Ao mesmo tempo, alguns investidores têm comprado ouro como forma de se proteger antes de disputas eleitorais importantes na Europa, onde o sentimento populista tem crescido. A Holanda terá eleição parlamentar nesta quarta-feira. Além disso, autoridades da Escócia ameaçaram nesta semana realizar um novo plebiscito sobre a saída do país do Reino Unido, enquanto a França realiza o primeiro turno de sua disputa presidencial no próximo mês.
Analistas do UBS Wealth Management afirmaram em nota a clientes que o ouro deve ficar pressionado se o Fed sinalizar que planeja elevar os juros a um ritmo mais rápido. Por outro lado, um aperto monetário gradual nos EUA e as incertezas políticas na Europa podem impulsionar o ouro a US$ 1.300 a onça-troy no próximo ano, apontaram os economistas. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia