Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de março de 2017. Atualizado às 22h39.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Crise carcerária

Notícia da edição impressa de 14/03/2017. Alterada em 13/03 às 22h29min

Grupo vai inspecionar prisões

Cinco membros do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) integram o novo grupo instituído pela ministra Cármen Lúcia para apurar as condições das prisões do Norte do País. O Grupo Especial de Monitoramento e Fiscalização deve acompanhar inspeções feitas por juízes em prisões indicadas pelos tribunais estaduais como dotadas de maiores problemas.
A equipe deve propor providências para o cumprimento das penas de condenados e julgamento de réus presos, dar suporte aos juízes em casos que dependam de medidas especiais e definir fluxo de julgamento dos casos pendentes. O grupo leva em conta "as atrocidades cometidas em unidades prisionais" em janeiro. Esses crimes, considera a ministra, "impõem inspeções, apuração de responsabilidades e medidas preventivas e repressoras".
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia