Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 01h11.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 16/03 às 01h10min

Parente espera que a Petrobras retome 'velocidade máxima' na venda dos ativos

Meta da estatal é conseguir arrecadação de US$ 34,6 bilhões com repasse de ativos nos próximos dois anos

Meta da estatal é conseguir arrecadação de US$ 34,6 bilhões com repasse de ativos nos próximos dois anos


GERALDO FALCÃO/DIVULGAÇÃO/JC
A Petrobras informou, na quinta-feira da semana passada, que conseguiu derrubar a liminar que impedia a venda da subsidiária NTS (Nova Transportadora do Sudeste) à canadense Brookfield. O negócio, no valor de US$ 5,2 bilhões, é o maior já fechado dentro do plano de desinvestimentos da companhia. A venda havia sido aprovada pelos acionistas da estatal em dezembro, mas foi suspensa em fevereiro pelo juiz Marcos Antonio Garapa de Carvalho, da Justiça Federal de Sergipe.
A NTS engloba a malha de gasodutos da estatal na região Sudeste. Segundo o acordo assinado com a Brookfield, a Petrobras permaneceria com uma fatia de 10% da empresa. "Com a decisão favorável, a Petrobras poderá prosseguir com essa operação de venda", informou a estatal, em comunicado distribuído na quinta-feira, logo após a sentença ser divulgada.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia