Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 19 de março de 2017. Atualizado às 22h22.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 20/03/2017. Alterada em 17/03 às 19h10min

Empreender para inovar

Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem

Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem


BRASKEM/DIVULGAÇÃO/JC
Patrick Teyssonneyre
Empreender não é tarefa fácil. Os desafios são grandes e exigem muita dedicação e persistência para planejar um novo negócio. Em tempos de incertezas econômicas, como a atual recessão no Brasil, as dificuldades para o empreendedor se tornam ainda maiores e mais perigosas. A restrição dos investimentos, a baixa demanda, a queda de receitas e o aumento de prejuízos são fatores de risco comuns em um cenário de crise e que, se mal avaliados, podem levar o sonho do empreendedorismo ao fim.
Nesse cenário, além da realização de um bom plano de negócios - que considere dados de mercado, previsão de gastos e receitas, oportunidades comerciais, relacionamento com cliente e comunicação -, o empreendedor pode garantir melhores resultados ao investir tempo e dinheiro em inovação. O tema não é um privilégio das grandes empresas e é um recurso fundamental para o sucesso dos novos negócios.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia