Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de março de 2017. Atualizado às 22h16.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 13/03/2017. Alterada em 10/03 às 19h47min

Queda de preço da erva-mate preocupa

Erva-mate. Ervateira. Divulgação Emater

Erva-mate. Ervateira. Divulgação Emater


EMATER/DIVULGAÇÃO/JC
Agricultores de Venâncio Aires, detentora do título de "capital nacional do chimarrão", estão destruindo os pés de erva-mate devido à queda do preço pago aos produtores. As ervateiras, empresas que preparam e embalam a erva para a venda, pagam R$ 8,00 aos agricultores por arroba (15 quilos). Em 2014, o valor da arroba chegou a R$ 18,00. Cada arroba resulta em sete quilos de erva-mate para venda.
Nos supermercados gaúchos, a erva-mate é vendida por R$ 10,00 o quilo, em média. Em 2013 e 2014, o consumidor pagou cerca de R$ 15,00 por um quilo do produto. "Foi difícil até decidir arrancar as plantas. Eu me criei cortando erva. Agora não dá mais, o valor pago está muito baixo, meus músculos não aguentam mais e não tenho ninguém para me substituir", diz o agricultor João Nilson da Silva, 67, que arrancou seis hectares de erva-mate no ano passado.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia