Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de fevereiro de 2017. Atualizado às 22h49.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara de porto alegre

Notícia da edição impressa de 01/03/2017. Alterada em 28/02 às 21h52min

Comerciantes buscam derrubar veto a bicicletário

Projeto permite instalação de paraciclos em parte da calçada e vaga de estacionamento em frente a bares

Projeto permite instalação de paraciclos em parte da calçada e vaga de estacionamento em frente a bares


MOINHOS SHOPPING/DIVULGAÇÃO/JC
Marcus Meneghetti
A Rede Minha Porto Alegre lançou uma plataforma virtual - com o apoio de donos de bares e restaurantes - em que oferece uma ferramenta para que os cidadãos pressionem os vereadores de Porto Alegre a derrubarem o veto do prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) ao projeto que permite aos donos de estabelecimentos instalarem bicicletários em frente aos locais que administram.
O site presenta um botão através do qual os interessados podem enviar um texto padronizado ao e-mail dos parlamentares em quem votaram nas últimas eleições municipais. "Quero mais bicicletários na cidade! Por isso, peço que tu (vereador) votes pela derrubada do veto ao projeto que autoriza comerciantes a colocar bicicletários e paraciclos no leito da rua, em vagas que seriam destinadas ao estacionamento de automóveis", reivindica o escrito.
Um dos empreendedores que apoiam a iniciativa é Guilherme Moojen, proprietário do Café Cartum, localizado na rua José do Patrocínio, onde passa uma ciclofaixa. "Tem dias que chegam a ter 10 bicicletas amarradas no pátio do Café Cartum. Se a lei entrar em vigor, pretendo instalar um bicicletário na vaga em frente ao bar. Até porque a entrada do Café Cartum fica em uma entrada de garagem, que não uso porque não tenho carro", projetou Moojen - destacando que, no seu caso, sequer tiraria a vaga de estacionamento de um carro.
O vereador Marcelo Sgarbossa (PT), autor do projeto aprovado pela Câmara Municipal em dezembro de 2016, acredita que a iniciativa "é um termômetro para ver o quanto a sociedade se interessa pelo tema". "A campanha virtual pode não ser decisiva no voto dos vereadores. Mas com certeza os influencia. Por isso, acredito que essa ferramenta vai ter um impacto positivo para derrubarmos o veto", projetou Sgarbossa.
O petista explicou ainda que a proposta surgiu a partir do relato de um comerciante que pediu autorização à Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) para instalar um bicicletário na vaga de carro em frente ao seu estabelecimento. A EPTC negou a solicitação, alegando que não havia legislação municipal que permitisse a iniciativa.
"O projeto surgiu de um anseio da própria comunidade. Além disso, acredito que o veto vai ser derrubado porque não implica nenhum custo para a prefeitura, já que o comerciante é que vai custear a instalação, se ele quiser", declarou Sgarbossa.
Na justificativa do veto, Marchezan pede que o texto esclareça em que tipo de logradouros vão ser permitidos a instalação dos bicicletários: se vão ser só em vias onde já existem estacionamento de carros ou em outras também, sob o risco de prejudicar a mobilidade urbana. Além disso, o prefeito sustenta que será necessário revisar todos os decretos que tratam do licenciamento para implantação de mobiliário urbano em locais públicos.
A Minha Porto Alegre é uma rede de porto-alegrenses que milita por uma cidade sustentável. Entre os temas que reivindicam, está a mobilidade urbana com espaço aos meios de transporte alternativos ao automóvel, como por exemplo a bicicleta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia