Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017. Atualizado às 09h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

siderurgia

Alterada em 17/02 às 10h33min

Usiminas registra prejuízo líquido de R$ 195 milhões no 4º trimestre

A Usiminas reportou um prejuízo líquido de R$ 195 milhões no quarto trimestre do ano passado, ante um prejuízo de R$ 1,627 bilhão no mesmo período do ano anterior e de R$ 107 milhões no terceiro de 2016. Trata-se do décimo prejuízo consecutivo da siderúrgica mineira. No ano, porém, a Usiminas reduziu suas perdas em 84%, encerrando o ano passado com um prejuízo líquido de R$ 577 milhões.
Ao considerar o lucro atribuível aos acionistas, o prejuízo é ainda maior, de R$ 273,6 milhões. No mesmo período do ano anterior, a perda foi de R$ 1,357 bilhão e, no terceiro trimestre de 2016, de R$ 114 milhões, de acordo com esse critério.
Tal prejuízo veio quatro vezes maior do que a média da Prévia Broadcast, com cinco instituições financeiras consultadas pelo Broadcast (Santander, Itaú BBA, Morgan Stanley, BTG Pactual e Bradesco BBI), que apontava para uma perda de R$ 67 milhões no período.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no intervalo de outubro a dezembro do ano passado somou R$ 584 milhões, revertendo um Ebitda negativo de R$ 1,82 bilhão no mesmo período de 2015. Em relação ao terceiro trimestre do ano passado o Ebitda cresceu 94%. No ano, o Ebitda foi de R$ 995 milhões, ante uma queima de caixa de R$ 2,318 bilhões observada em 2015. A margem Ebitda, assim, encerrou o quarto trimestre em 28%, ante uma margem negativa de 76%.
No terceiro trimestre do ano passado, a margem Ebitda foi de 13%. No ano foi de 12%, ante uma margem negativa de 23% em 2015.
No critério ajustado, o Ebitda chegou em R$ 234 milhões, ante um Ebitda negativo de R$ 250 milhões no quarto trimestre de 2015. No terceiro trimestre do ano passado, o Ebitda ajustado foi de R$ 307 milhões. No ano, o Ebitda ajustado somou R$ 660 milhões, ante R$ 291 milhões em 2017.
O Ebitda ajustado de R$ 234 milhões veio 6% menor do que as estimativas, de R$ 250 milhões. O Broadcast considera que o resultado está em linha com as projeções quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.
A receita líquida da Usiminas de outubro a dezembro do ano passado alcançou R$ 2,12 bilhões, queda de 12% ante os últimos três meses de 2015. O resultado ficou de acordo com as projeções de mercado, em torno de R$ 2,4 bilhões.
Em relação ao terceiro trimestre, a receita caiu 6%. No ano, a receita líquida da siderúrgica foi de R$ 8,454 bilhões, recuo de 17%.
Os investimentos da Usiminas no quarto trimestre do ano passado somaram R$ 67 milhões, queda de 71% sobre um ano antes. Em relação ao terceiro trimestre de 2016, subiram 81%. Os investimentos no período foram principalmente em manutenção.
Foram aplicados aproximadamente 71% na Unidade de Siderurgia, 21% na Mineração, 2% na Transformação do Aço e 6% em Bens de Capital.
No ano, os investimentos da Usiminas caíram 71%, para R$ 225 milhões, ante 2015. A forte queda ocorreu, de acordo com a empresa, por conta do seu "controle rigoroso de capex". Do total dos investimentos em 2016, foram aplicados 79% na Unidade de Siderurgia, 15% na Mineração, 3% na Transformação do Aço e 3% em Bens de Capital.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia