Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017. Atualizado às 07h01.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Notícia da edição impressa de 13/02/2017. Alterada em 13/02 às 08h05min

Canadá celebra 150 anos e se projeta como destino

Paisagens da Nova Escócia, como em Peggy's Cove, atraem estrangeiros

Paisagens da Nova Escócia, como em Peggy's Cove, atraem estrangeiros


KYLE MULINDER/DIVULGAÇÃO/JC
Thiago Copetti
Apesar de ainda estar fora da lista dos principais destinos dos brasileiros quando o tema é turismo internacional, a procura pelo Canadá cresce aceleradamente no Brasil. Além de sediar algumas das cidades mais cosmopolitas do mundo (o País abriga e recebe bem um elevado número de imigrantes, como poucas nações), o custo do dólar canadense é extremamente vantajoso em relação ao dólar americano. E, em 2017, há um motivo a mais para desembarcar no país. O Canadá celebra ao longo do ano, com uma centena de atrações, seus 150 anos de independência do Reino Unido.
"A cotação do dólar canadense é, geralmente, cerca de 30% inferior à moeda americana. Isso é grande atrativo. Além, claro, de todos os aspectos culturais. O Canadá ainda tem muito a ser descoberto pelos brasileiros. E 2017 pode ser o ano ideal para isso", recomenda o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem no Rio Grande do Sul (Abav/RS), João Augusto Machado.
Também listando as vantagens econômicas, Fabiano Camargo, diretor comercial da operadora Canada Turismo, comenta que, enquanto um hotel cinco estrelas em Nova Iorque custa a partir de US$ 700, no Canadá é possível hospedagem de mesmo nível por cerca de 350 dólares canadenses. "Além de menor preço, a conversão torna essa opção ainda mais vantajosa. Na agência, a procura pelo Canadá cresceu 35% em 2016. Foi o único entre os principais destinos a apresentar crescimento. E isso deve aumentar com as mudanças que estão prevista para facilitar a emissão de vistos para brasileiros", ressalta Camargo.
De acordo com Sheila Nassar, executiva da Vertebratta, agência responsável no Brasil pela divulgação turística canadense, o ingresso de turistas nacionais no país se amplia ano a ano pelo menos desde 2010, quando menos de 60 mil brasileiros viajaram para o Canadá. Em 2016, passaram de 100 mil. Sheila, assim como Camargo, também sinaliza como fatores positivos as novas mudanças para facilitar o ingresso de brasileiros no Canadá. O país segue o caminho oposto ao americano, ressalta Sheila, quando o tema é abrigar e receber pessoas e facilitar o trânsito de diferentes nacionalidades.
"O Canadá já deixou de exigir algumas comprovações de brasileiros que tenha visto americano e visitado o país nos últimos 10 anos. E também já sinalizou ao Itamaraty que deve implantar um sistema eletrônico de emissão de vistos para brasileiros em maio deste ano. O Canadá segue o caminho inverso dos Estados Unidos, que está repelindo imigrantes e dificultando a entrada no país", explica Sheila.
A demanda crescente de turistas brasileiros estimula companhias a reforçarem a rota de integração entre o Sul e o Norte do continente americano. Sheila também ressalta como um dos recentes fatores de estímulo para viagens ao Canadá a redução no preço médio das passagens aéreas. Segundo ela, o valor mínimo caiu de R$ 2 mil cerca de R$ 1,2 mil, em promoções, hoje em dia. "Aumentou muito a oferta de boas conexões, por mais de um companhia, entre Brasil e o Canadá. Nas opções sem paradas entre Brasil e São Paulo, prova do crescimento é o novo Boeing 787 que a Air Canada trouxe neste ano para as viagens diretas entre São Paulo e Toronto."
O Boeing 787-8 Dreamliner, de acordo com a Air Canada, é uma das aeronaves mais modernas do mundo e entrou em operação em dezembro de 2016 em substituição ao Boeing 767-300. Uma das opções agregadas nos serviços Brasil-Canadá com a aeronave é a de uma classe a mais nas opções de voo. Além da classe Executiva e Econômica, agora há opção intermediária, Econômica Premium, acima da econômica em termos de serviço, mas com preço menor do que a 1ª classe.

Para estudar e curtir a natureza

Fenômeno da aurora boreal encanta visitantes do Norte do país
Fenômeno da aurora boreal encanta visitantes do Norte do país
CANADIAN TOURISM COMISSION/DIVULGAÇÃO/JC
Além dos eventos programados para 2017, o Canadá é um país com atrativos constantes, de origem cultural e natural. O Canadá reúne, como poucas nações no mundo, a diversidade de convivência com duas línguas: o francês e o inglês. E também abriga parques e paisagens completamente distintas ao longo do ano.
Enquanto em regiões como o Quebec o país vive toda sua relação com a cultura francesa, outros locais, como Nova Escócia, reforça sua ligação com a terra da rainha Elizabeth. Bilíngue por natureza, o canadense se tornou um povo mais receptivo aos imigrantes, simpático e excelente alternativa para quem busca o desenvolvimento de idiomas e em diferentes áreas da educação.
"O país vive e explora muito bem essa característica. Por isso tem sido procurado por mais pessoas, a lazer ou para estudos também", explica Fabiano Camargo, diretor comercial da operadora Canadá Turismo.
No quesito atrações naturais, além de dezenas de parques, lagos e montanhas, o Canadá conta com uma boa estrutura turística para quem sonha ver uma das mais belas manifestações da natureza, a aurora boreal. O fenômeno, que colore os céus do Norte do mundo, pode ser visto em cidades como Whitehorse, com ampla rede de hotelaria, comércio, serviço e logística. Fora da região, o fenômeno pode ser observado em poucos outros lugares da América do Norte e em locais de mais difícil acesso, como o Alasca.
 

Alguns destaques da programação de 150 anos

Megajantar
Um megajantar para 1 mil convidados, numa mesa de 305 metros de comprimento. O evento ao ar livre, em frente ao parlamento em Ottawa. O Canada’s Table reunirá dez chefs locais com dez outros renomados de diversas partes do país para oferecer servir os convidados para um jantar com quatro pratos, preparados com ingredientes canadenses e harmonizados com vinhos nacionais. O megajantar será realizado na noite do domingo 27 de agosto e os ingressos começarão a ser vendidos em breve no site www.ottawa2017.ca/canadas-table.
Festa náutica
Celebração naval preparada com atrações envolvendo mais de 40 grandes navios que estarão ancorando em cidades com Québec e Ontário entre junho e agosto.
Niágara Falls
Pela primeira vez em mais de 80 anos será renovada a com iluminação LED as grandiosas cataratas de Niágara. Assim, além da exuberância exibida naturalmente durante o dia, as cataratas ser transformarão em tela para projeções noturnas ainda mais belas.
Celebração ao frio
O governo abre, ao longo deste ano, a Arctic Gallery, museu natural voltado ao Polo Ártico, seus animais e suas geladas atrações.
Entradas gratuitas
Todos os parque naturais nacionais (maios de quarenta, ao todo, como Banff, Lake Louise e Jasper) administrados pela autarquia federal Parks Canada terão entrada gratuita ao longo do ano
Montreal
Além dos 150 anos sendo celebrados país afora, ao longo de 12 meses, a cidade de Montreal também terá dezenas de eventos comemorativos aos seus 375 anos, com grandes eventos esportivos de inverno, musica, tecnologia e arte.
Museu
A abertura de um grande espaço dedicado à história do país no Canadian Museum of History reunirá tecnologia, design e muita criatividade na reprodução dos fatos, momentos e espaços geográficos que marcam o Canadá.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia