Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de janeiro de 2017. Atualizado às 07h14.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Reestruturação do Estado

Notícia da edição impressa de 10/01/2017. Alterada em 10/01 às 09h09min

Intelectuais gaúchos pedem para Sartori suspender extinção de fundações

Documento foi lido e distribuído em evento no Centro da Capital

Documento foi lido e distribuído em evento no Centro da Capital


PEDRO BRAGA/JC
Bruna Suptitz e Patrícia Comunello
Em mais uma tentativa de reverter a extinção de órgãos públicos no Rio Grande do Sul, um grupo formado por 66 artistas, escritores, pesquisadores ligados a universidades e academias de ciência e ex-secretários estaduais lançou ontem uma Carta Aberta ao Governo do Estado, com apelo para suspensão do processo de extinção que levará ao fim das instituições.
A carta é destinada ao governador José Ivo Sartori (PMDB) e ao vice-governador José Paulo Cairoli (PSD), e foi apresentada no fim da tarde de ontem em evento no Chalé da Praça XV, no Centro de Porto Alegre, que reuniu, além dos 67 signatários originais, centenas de apoiadores.
O documento foi lido ao público pela radialista Kátia Suman, acompanhado de falas de outros signatários, como a artista plástica Zorávia Bettiol, o economista Cláudio Accurso e o escritor e professor Luís Augusto Fischer, para quem "ainda é possível reverter alguma coisa".
Mais cedo, Accurso, que foi secretário de Planejamento na gestão de Pedro Simon (PMDB), entregou a carta na Casa Civil, acompanhada de pedido de audiência com o chefe do Executivo gaúcho.
No documento, os intelectuais convidam os governantes a um exercício de consciência ao afirmarem que o Executivo recebeu autorização para fechar as fundações, mas não é obrigado a executá-lo. "Os estadistas detêm o poder de decisão, mas aceitam o debate e a possibilidade de revisar suas posições", alegam.
A falta de transparência, segundo alega o grupo, quanto aos dados orçamentários apresentados para justificar as extinções é questionada, pois os números são considerados "frágeis para justificar uma ação tão radical". Em destaque no texto aparece a informação de que, com as demissões e extinções, o valor economizado - cerca de R$ 189,2 milhões - "representa apenas 0,69% do orçamento do Poder Executivo realizado em 2016".
Ao final da carta, os signatários pedem que se estabeleça um "fórum de diálogo e negociação, com representantes das organizações da sociedade civil e especialistas das áreas de conhecimento científico, tecnológico e cultura", que auxilie na busca por alternativas para superar a crise e contribuir com o desenvolvimento no Estado. O documento foi posteriormente disponibilizado na página do evento no Facebook, para coleta das assinaturas do público em geral.
Na manhã de ontem, no evento de entrega de novas ambulâncias, que contou com a presença do presidente Michel Temer (PMDB), o secretário-chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi (PMDB), disse que respeita "todo e qualquer movimento" e que "recebe os argumentos com respeito e fazendo uma avaliação, mesmo que isso não faça com que a gente abandone o que já foi aprovado".
A iniciativa ocorre menos de 20 dias após a Assembleia Legislativa aprovar as extinções propostas por Sartori dentro do pacote de reestruturação do Estado. A medida, que depende de sanção do Palácio Piratini e edição de decretos extinguindo cada órgão, foi alvo, nas últimas duas semanas, de decisões da Justiça do Trabalho suspendendo os desligamentos sem prévia negociação coletiva.
No total, o governo projeta 1,2 mil demissões de servidores com vinculo celetista. Liminares impedem cortes nas fundações Piratini (TVE e FM Cultura), de Economia e Estatística (FEE), de Ciência e Tecnologia (Cientec), para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) e Zoobotânica (FZB).
O quadro da Companhia Riograndense de Artes Gráficas (Corag) conseguiu liminar adiando as rescisões. Fundações de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) Pesquisa em Saúde (Fepps), e Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (Figtf) são as outras a serem extintas.

Quem assina a Carta Aberta ao Governo do rio grande do sul

  • Abrão Slavutzky - psicanalista
  • Alfredo Fedrizzi - jornalista e publicitário, ex-diretor executivo da TVE
  • Alfredo Gui Ferreira - botânico, professor aposentado da Ufrgs, ex-presidente da Agapan
  • Alfredo Jerusalinsky - psicanalista e diretor do Centro Lydia Coriat, em Porto Alegre e Buenos Aires
  • Armindo Trevisan - poeta, crítico de arte e ensaísta
  • Bagre Fagundes - folclorista e compositor
  • Benedito Tadeu César - cientista político, ex-coordenador do Labors/Ufrgs e do Ppgcp/Ufrgs
  • Carlos Alexandre Netto - médico, neurocientista e ex-reitor da Ufrgs
  • Celso Loureiro Chaves - pianista, compositor e professor da Ufrgs
  • Cíntia Moscovich - escritora e patronesse da Feira do Livro de Porto Alegre
  • Cláudio Accurso - economista e ex-secretário do Planejamento do Estado
  • Deborah Finocchiaro - atriz, diretora e produtora teatral
  • Edgar Vasques - cartunista e ilustrador
  • Enéas de Souza - economista, psicanalista, crítico de cinema e ex-secretário de Ciência e Tecnologia do Estado
  • Ernesto Fagundes - cantor
  • Esther Pillar Grossi - educadora e coordenadora de pesquisa do Geempa
  • Fernanda Carvalho - jornalista e apresentadora de TV
  • Flávio Kapczinski - médico psiquiatra, professor da Ufrgs e membro da Academica Brasileira de Ciências
  • Flávio Tavares - jornalista e escritor
  • Francisco Marshall - historiador, professor da Ufrgs e produtor cultural
  • Francisco Salzano - geneticista, professor da Ufrgs, membro titutar da Academia Brasileira de Ciência
  • Gilberto Perin - jornalista, fotógrafo e diretor de cena
  • Hélgio Trindade - cientista político, ex-reitor da Ufrgs e ex-reitor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila)
  • Hique Gomez - músico e ator
  • Horácio Dottori - astrônomo e professor emérito da Ufrgs
  • Ivan Izquierdo - neurocientista e coordenador do Centro de Memória e de Altos Estudos do Instituto do Cérebro da Pucrs
  • Jefferson Cardia Simões - professor titular da Ufrgs, membro da Academia Brasileira de Ciências
  • Jorge Furtado - cineasta, fundador e membro da Casa de Cinema de Porto Alegre
  • Kathrin Rosenfield - crítica literária e professora da Ufrgs
  • Katia Suman - radialista
  • Leonardo Melgarejo - engenheiro agrônomo e presidente da Associação Gaúcha de Proteção do Ambiente Natural (Agapan)
  • Luís Augusto Fischer - escritor, professor da Ufrgs e ex-patrono da Feira do Livro de Porto Alegre
  • Luis Fernando Verissimo - escritor, cartunista, roteirista de TV e autor de teatro
  • Luiz Antônio de Assis Brasil - escritor, professor da Pucrs e ex-secretário de Cultura do Estado
  • Luiz Osvaldo Leite - professor de Filosofia, ex-diretor do Instituto de Psicologia da Ufrgs e ex-presidente da Ospa
  • Luiz Paulo Vasconcellos - ator, diretor teatral
  • Márcia C. Barbosa - professora de Física da Ufrgs e membro da diretoria da Academia Brasileira de Ciências
  • Maria Amélia Bulhões - historiadora da arte e presidente da Associação Brasileira de Críticos de Arte
  • Maria Aparecida Grendene de Souza - economista e ex-presidente do Conselho Regional de Economia do Estado
  • Maria Beatriz Luce - educadora, ex-reitora da UniPampa e ex-secretária de Educação Básica do MEC
  • Maria Benetti - economista, especialista em economia agrícola
  • Martha Medeiros - jornalista e escritora
  • Moisés Mendes - jornalista
  • Nei Lisboa - músico e compositor
  • Néstor Monasterio - diretor e produtor teatral
  • Paula Ramos - historiadora da arte e professora do Instituto de Artes da Ufrgs
  • Paulo Fagundes Visentini - historiador e ex-coordenador do PPG de Relações Internacionais da Ufrgs
  • Paulo Flores - ator e membro da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz
  • Paulo Romeu Deodoro - professor de música e diretor musical Afrosul/Odomode
  • Pedro Dutra Fonseca - economista e ex-vice-reitor da Ufrgs
  • Rafael Pavan dos Passos - arquiteto, presidente da IAB-RS
  • Regina Zilberman - crítica literária e professora do Instituto de Letras da Ufrgs
  • Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo - sociólogo e coordenador do PPG de Ciências Sociais da Pucrs
  • Rogério Beretta - ator
  • Rualdo Menegat - geólogo, professor do Igeo/Ufrgs e coordenador-geral do Atlas Ambiental de Porto Alegre
  • Ruben G. Oliven - antropólogo, ex-presidente da Associação Brasileira de Antropologia e da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais/Anpocs
  • Ruy Carlos Ostermann - jornalista, ex-secretário de Ciência e Tecnologia e ex-secretário de Educação do Estado
  • Sandra Dani - atriz e ex-professora do Departamento de Artes Dramáticas da Ufrgs
  • Santiago - cartunista
  • Sérgio Faraco - escritor
  • Tiago Holzmann da Silva - arquiteto e ex-presidente do IAB-RS
  • Vitor Ramil - cantor, compositor e escritor
  • Yamandu Costa - violonista e compositor
  • Zé Adão Barbosa - ator e diretor teatral
  • Zé Victor Castiel - ator e produtor
  • Zoravia Bettiol - artista visual, designer e arte-educadora
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Cleber Moreira 10/01/2017 23h30min
quem são mesmo?
Experimenta 10/01/2017 17h50min
Intelectuais?