Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 08 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h26.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 09/01/2017. Alterada em 08/01 às 22h26min

Um país mal administrado

Fernando Martins de Menezes
Estamos vivendo, sim, um clima de guerra no Brasil. Somente em razão de assassinatos e mortes no trânsito temos mais de 100 mil óbitos por ano. Agora, assistimos perplexos à matança de 56 pessoas em um presídio no Amazonas. São latrocínios, sequestros, explosões em bancos (estas ocorrem todos os dias em algum lugar), assaltos, rebeliões em presídios, guerras entre facções etc. Logo vem uma autoridade dizendo que "está tudo sob controle" ou que "não admitiremos que a bandidagem tome conta do País". Mas a verdade é que a bandidagem já tomou conta há muito tempo.
Um país tão rico em recursos naturais como o nosso não pode ficar eternamente no lugar em que está. Temos campos agricultáveis, florestas, belezas naturais, minérios, petróleo e um potencial turístico ainda pouco explorado. Mas temos políticos sem vergonha, com ministros, deputados, prefeitos e vereadores envolvidos em falcatruas (sem falar em assessores). Temos ainda o antigo problema da impunidade, devido ao qual a bandidagem está sempre livre para mais crimes. Tudo isto sem falar nos milhares de brasileiros que morrem todo ano nas filas de hospitais e postos de saúde.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia