Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 08 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h26.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 09/01/2017. Alterada em 08/01 às 22h26min

O desastre no raio x

Lasier Martins
Passados seis meses da queda de Dilma Rousseff (PT), as consequências do episódio dão os primeiros passos: relatos e análises isentos de emoções e partidarismo começam a aparecer à luz de números e versões equilibradas. É o que se vê neste primeiro livro retrospectivo, a obra Anatomia de um desastre. Obra de cunho jornalístico, escrito a seis mãos por três dos mais categorizados profissionais da imprensa econômica, Cláudia Safatle, diretora do diário Valor Econômico; João Borges, comentarista da Globonews; e Ribamar de Oliveira, colunista e repórter do mesmo Valor.
Do livro emana credibilidade: nem um pingo de opinião, zero ideologia, só informação. As conclusões ficam por conta do leitor. Por exemplo: tenho de concordar que estamos na mais longa recessão do Brasil. Isto se depreende de uma passada de olhos na série histórica das variações do PIB de 1901 até hoje. Somente no grande confisco do ex-presidente Collor, em 1990, e na grande maxidesvalorização de 1981 tivemos um crescimento negativo ligeiramente maior que na gestão petista, entretanto, por tempo menor, logo recuperado.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia