Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de janeiro de 2017. Atualizado às 11h54.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

11/01/2017 - 12h56min. Alterada em 11/01 às 12h57min

Trump desqualifica denúncia de que Rússia tem dados comprometedores sobre ele

O presidente eleito deve dar hoje a primeira entrevista coletiva

O presidente eleito deve dar hoje a primeira entrevista coletiva


TY WRIGHT /GETTY IMAGES/AFP/JC
O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, desqualificou nesta quinta-feira (11) as acusações do FBI (a Polícia Federal norte-americana) de que a inteligência russa teria informações comprometedoras contra ele. No Twitter, Trump disse que as denúncias são "infundadas" e foram bancadas por adversários políticos.
A nova polêmica que envolve o relatório norte-americano sobre a interferência russa nas eleições surgiu depois que a imprensa local publicou, na terça-feira (10), entrevistas anônimas. Nelas, agentes do FBI afirmam que o governo da Rússia tem uma espécie de dossiê com informações comprometedoras sobre Donald Trump.
Os dados em mãos de agentes russos diriam respeito a escândalos envolvendo atividades sexuais do presidente eleito e poderiam ser usadas, segundo os agentes entrevistados, para chantagear Trump.
No Twitter, Donald Trump voltou a afirmar que o relatório e as supostas denúncias teriam sido fabricadas e pagas por seus adversários políticos. O presidente eleito deve dar hoje a primeira entrevista coletiva, um dia depois de o presidente Barack Obama ter feito o discurso de despedida.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia