Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de janeiro de 2017. Atualizado às 15h26.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 10/01 às 16h27min

Indicado de Trump para procurador-geral rebate acusações de racismo no Senado

O senador republicano Jeff Sessions, escolhido pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, para ocupar o cargo de procurador-geral, rebateu as acusações de racismo durante a sabatina que acontece nesta quarta-feira, no Senado.
Sessions é o primeiro de uma série de audiências na Casa para avaliar as escolhas de Trump para compor seu governo. O nome do senador pelo Alabama enfrenta forte resistência dos parlamentares democratas.
Durante a sessão, que foi interrompida diversas vezes por manifestantes, Sessions afirmou que as alegações de que seria simpático à seita Ku Klux Klan ou de que seria racista são "odiosamente falsas". O assunto surge uma vez que ele foi indicado para o principal cargo da promotoria no país, em parte porque, em 1986, sua nomeação para a Suprema Corte foi recusada justamente por causa de dúvidas em relação às suas posições nesse campo.
Sessions, como praticamente todos os nomeados por Trump, deve ter seu nome confirmado pelo Senado, controlado pelo Partido Republicano. Por outro lado, os Democratas tentam utilizar as audiências para arrancarem compromissos verbais dos candidatos ou ainda mostrar sua falta de concordância com a indicação. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia