Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h44.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Rússia

Notícia da edição impressa de 11/01/2017. Alterada em 10/01 às 22h33min

Kremlin diz que sanções degradam relação bilateral

O Kremlin denunciou ontem "o passo a mais" que degrada as relações russo-americanas depois do anúncio de novas sanções de Washington contra a Rússia, dirigidas principalmente contra um alto dirigente dos serviços de investigação criminal. "É um passo a mais que visa deteriorar nossas relações", declarou à imprensa o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.
Ele lamentou uma "degradação sem precedentes" dos vínculos entre Washington e Moscou durante o segundo mandato do atual presidente Barack Obama. Os departamentos de Estado e do Tesouro anunciaram na segunda-feira sanções contra Alexander Bastrikin, o chefe do poderoso Comitê de Investigação da Rússia encarregado das principais investigações criminais, e contra Andrei Lugovoi e Dmitri Kovtun, dois suspeitos do assassinato do opositor e ex-agente do KGB Alexandre Litvinenko, refugiado no Reino Unido.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia