Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de janeiro de 2017. Atualizado às 20h46.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Sistema Carcerário

06/01/2017 - 21h43min. Alterada em 06/01 às 21h48min

Secretaria de Justiça de Roraima revisa para 31 número de mortos em presídio

Mais cedo, a secretaria havia informado que era de 33 o número de vítimas

Mais cedo, a secretaria havia informado que era de 33 o número de vítimas


Divulgação/AFP/JC
Agência Brasil
A Secretaria de Justiça e Cidadania de Roraima informou há pouco, por meio de nota, que o massacre ocorrido na madrugada desta sexta-feira (6) na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, a maior do estado, deixou 31 mortos. Mais cedo, a secretaria havia informado que era de 33 o número de vítimas. Segundo a nota, a revisão ocorreu após o trabalho da perícia.
De acordo com a Secretaria de Justiça e Cidadania, 22 corpos já foram periciados e quatro identificados e liberados para as famílias.
As mortes em Roraima ocorrem na mesma semana em que 60 presos foram assassinados em estabelecimentos prisionais do Amazonas e um dia após o governo federal lançar o Plano Nacional de Segurança Pública para tentar reduzir o número de homicídios dolosos e feminicídios, além de promover o combate integrado à criminalidade transnacional e a racionalização e modernização do sistema penitenciário.
No início da tarde, também por meio de nota, o presidente Michel Temer lamentou o episódio, se solidarizou com a população do estado e colocou "todos os meios federais à disposição" da governadora Suely Campos, de modo a auxiliar as ações de segurança pública
Conforme comunicado divulgado pelo Palácio do Planalto, em conversa por telefone com Temer, a governadora disse que a situação no presídio estava sob controle e que, "naquele momento", não seria necessária a presença federal no estado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia